A OMS (Organização Mundial da Saúde) emitiu um comunicado na última quinta-feira (12) alertando sobre a recomendação de gestantes viajarem para o Rio de Janeiro durante as Olimpíadas. Segundo a organização, o motivo seria o vírus zika, que está sendo um grande problema de saúde pública no Brasil e em diversos outros países do mundo. O zika vírus é transmitido pelo mosquito aedes aegypti (também transmissor da dengue e da febre amarela). Uma vez que o Brasil é um dos países mais afetados pelo vírus (que pode causar microcefalia em recém nascidos), a recomendação é evitar contato com grandes aglomerações de pessoas, como será o caso das Olimpíadas e Paralimpíadas Rio-2016.

Publicidade
Publicidade

No comunicado emitido pela OMS, em união a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), foram apresentadas também diversas dicas para visitantes e atletas que virão até o Rio de Janeiro para prestigiar ou participar dos Jogos. Os jogos que serão realizados entre 5 de agosto e 18 de setembro será berço de mais de 200 países (a expectativa da organização é do recorde de 206), que devem disputar os Jogos. O Brasil, além de estar entre os 206 países que disputarão as Olimpíadas, também está na lista dos 58 países afetados pelo zika vírus, tendo uma grande extensão territorial e um clima que propicia a proliferação do mosquito.

Entre as principais recomendações da OMS está para os parceiros das gestantes. Quando visitarem zonas de risco, é importante o uso de preservativos, ou ainda, para maior segurança, abster-se de sexo durante a gravidez por pelo menos quatro semanas.

Publicidade

A OMS e a OPAS alerta que muitos casos de zika vírus tem sido registrado por transmissão sexual, e, por isso, o cuidado deve ser maior. Que os parceiros cuidem suas parceiras e não coloquem o desejo acima da saúde.

Com quase dois milhões de infectados registrados, o Brasil é o país mais afetado pelo zika vírus. O Comitê Olímpico garante segurança aos visitantes e atletas durante as Olimpíadas, entretanto os avisos não impediram que alguns atletas tenham desistido de participar dos jogos. Por fim, a OMS alerta para que os visitantes não compareçam a áreas precárias de higiene e água corrente, pois as chances de existirem mosquitos infectados se torna maior.    #Crise #Rio2016 #Organização Mundial de Saúde