Se dependesse da Organização Mundial da Saúde os jogos olímpicos não ocorreriam. É bastante provável que se dependesse dos ambientalistas também não. Embora por motivos distintos, os organizadores da Rio 2016, terão dor de cabeça para suprir as demandas de recursos que serão utilizados e consumidos durante as Olimpíadas do Rio de Janeiro.

O município do Rio de Janeiro é disparado o maior do estado, gerenciá-lo em condições normais não é uma tarefa simples, há muita divergência cultural, locais que demandam maiores cuidados com a segurança e outros com infra estrutura precária, dentre outras coisas.

Gerenciar um evento do porte das Olimpíadas não será uma situação fácil.

Publicidade
Publicidade

Só de itens necessários às disputas dos jogos, estima-se que serão mais de 30 milhões. Os organizadores da Rio 2016 ainda deverão dar conta de 17 mil toneladas de resíduos, mais de 23 milhões de litros de combustíveis serão necessários para os deslocamentos no município durante o evento.

Ademais serão necessários mais de 29 milhões de GWatts de energia somente para o evento, excluindo-se a utilizada normalmente pelo município, ainda há a previsão de consumo de mais de 6 mil toneladas de alimentos, pelos atletas e todas as delegações.

Não acabou. Especula-se que as Olimpíadas deverão emitir mais de 3.6 milhões de toneladas de Dióxido de Carbono, que serão necessários uma frota extra de 1.500 ônibus apenas para transportar os atletas, as comissões e os árbitros e ainda, aumentará muito a demanda por vagas em aeroportos, somente de avião chegarão 28.500 atletas e comissões inteiras de representantes das nacionalidades que participarão das disputas.

Os dados informados neste artigo constam no site da própria organização do evento, o Rio 2016.

Publicidade

Lá foram listados quais serão os maiores desafios que os organizadores terão que superar para não comprometer o sucesso das Olimpíadas.

A contagem regressiva para os jogos olímpicos já começaram, a tocha já está circulando pelos estados do país, e o Rio de Janeiro começa, enfim, a respirar as Olimpíadas. #Rio2016