Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, que acontecem no próximo dia 5 de agosto, têm sido matéria para vários temas, principalmente com relação à saúde pública da Cidade Maravilhosa. O presidente do Conselho Regional de Medicina, (Cremerj), Pablo Vázquez, mostrou preocupação com relação à saúde pública durante a execução dos Jogos Olímpicos.

De acordo com o responsável, a cidade estará atendendo a várias delegações que virão de todo o mundo para prestigiar os Jogos e isso acarretará em um maior efetivo dos profissionais da saúde, que se concentrarão no atendimento dessas pessoas, deixando, possivelmente, o restante da população que mora na cidade do Rio de Janeiro, muitas vezes, sem atendimento.

Publicidade
Publicidade

De acordo com a Cremerj, a principal preocupação para essa questão se encontra no fato de que o atendimento de urgência e emergência, (feito pelas UPAS, que são completamente sobrecarregadas), estará possivelmente ultrapassando o seu limite. Segundo o vice-presidente, Nelson Nahon, a situação fica ainda mais perturbadora pelo fato de que alguns hospitais do interior acabaram sendo fechados, fato esse que fez com que houvesse uma maior sobrecarga para a rede hospitalar da cidade do Rio de Janeiro.

“O principal hospital de referência para os Jogos é o Lourenço Jorge, mas não há um polo de neurocirurgia", conta o vice-presidente da Cremerj, em entrevista. "A gente não sabe se há leitos de retaguarda em outras unidades, em caso de crise. (...)”, disse Nelson Nahon. Ele ainda alerta que não se sabe ao certo sobre os detalhes com relação ao transporte dos pacientes que precisam de atendimento urgente.

Publicidade

Nahon também comentou sobre o corpo de profissional da saúde, que por si só já é escasso para atender uma demanda muito grande que existe na cidade do Rio de Janeiro. Com os Jogos, isso possivelmente pode aumentar, pelo fato de que dezenas de milhares de turistas estão vindo para o Brasil para acompanhar os Jogos Olímpicos de perto, somado a esse número, ainda tem a população das delegações, os esportistas, convocados através de seus países para disputarem os Jogos. “Hoje os governos federal, estadual e municipal estão fazendo um investimento extraordinário para garantir que tudo ocorra bem. (...)”, alerta o presidente Vázquez. #Rio2016