#Michel Temer, presidente interino do Brasil, irá fazer a declaração que abre os Jogos Olímpicos Rio 2016. Entretanto, Temer não irá pisar no gramado do Estádio do Maracanã. Em vez disso, ele fará um breve pronunciamento na tribuna de honra da arena do Rio de Janeiro.

Na última quinta-feira (12), ele foi notificado sobre o afastamento de Dilma Rousseff, por volta das 11h30 da manhã. Desde então, ele é o presidente em exercício do país, enquanto Dilma se tornou presidente afastada, mas ainda desfruta do Palácio da Alvorada e avião, por exemplo. Temer fica no cargo de presidente interino por até 180 dias, prazo máximo que o Senado brasileiro tem para julgar o processo de impeachment de Dilma.

Publicidade
Publicidade

No gramado, apenas Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional, e Carlos Arthur Nuzman irão discursar no dia de abertura do Rio 2016. A abertura é um dos momentos que recebem mais atenção da mídia e do público em geral durante todo o evento. Chefes de Estado de diversos locais estarão presentes no estádios. Michel Temer deve receber convite para o evento nos próximos dias.

Vale lembrar que a abertura de eventos esportivos em geral tem sido algo traumático nos últimos tempos para os políticos do Brasil. Durante o Pan-07, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu vaias no Maracanã lotado; e isso aconteceu quando ele estava com alta popularidade. Na época, aliados de Lula afirmaram que as vaias foram organizadas pelo prefeito César Maia.

Durante a Copa das Confederações em 2013 DIlma Rousseff foi vaiada em partida no Mané Garrincha.

Publicidade

Joseph Blatter, que era presidente da Fifa na época, pediu educação ao público neste momento, mas de nada adiantou. Após a experiência, Dilma foi ao jogo de abertura na Copa do Mundo em São Paulo, mas não se arriscou a fazer discurso. E mesmo apenas assistindo ao jogo e sem discurso algum, Dilma foi hostilizada pelo público de torcedores a cada vez que aparecia no telão da Arena Corinthians.

Com a polarização política que assola o país nos últimos tempos, Temer também corre risco de ser hostilizado por parte do público. #Rio2016