Há algumas semanas os terroristas de um dos grupos mais sangrentos e perigosos do mundo lançaram um 'canal' de recrutamento de brasileiros no Brasil. Com a chegada das Olimpíadas, autoridades nacionais e internacionais monitoram as atividades do grupo com receio de um eventual ataque.

O recrutador

O recrutador oficial do EI responsável por convencer e instruir brasileiros que estejam dispostos a se tornarem um jihadista, é Ismail Abdul Jabbar Al-Brazili, também conhecido apenas como 'O Brasileiro'.

A Agência Brasileira de Inteligência e a CIA,dos Estados Unidos, monitoram todas as ações desse homem. Atualmente ele traduz campanhas de ódio do grupo para a página brasileira do EI, que tem crescido no número de curiosos ou interessados em ingressar na 'luta jihad'.

Publicidade
Publicidade

O nome do terrorista foi revelado publicamente pela revista portuguesa Sábado, em parceria com a revista brasileira Veja. As autoridades acreditam que ele use outros nomes de guerra no Brasil e que não há dúvidas de que ele seja um combatente do ISIS no Brasil.

Segundo informações das autoridades que o investigam, Abdul possui uma vida ativa na internet e já criou diversos perfis fakes nas principais redes sociais. Como está sendo monitorado, assim que a Agência de Inteligência descobre sua nova conta no Twitter ou Facebook, a mesma é encerrada pelas respectivas empresas à pedido das autoridades.

Entretanto, isso não inibe 'O Brasileiro', que continua criando cada vez mais perfis para se manter ativo na rede mundial de computadores e abastecer o canal em português com conteúdos traduzidos do Estado Islâmico.

Publicidade

Para ampliar a mensagem de ódio, o militante terrorista possui dois blogs, onde afirma que foi recrutado pelo jihadista americano Abu Khalid Al-­Amriki, morto em combate na Síria. Al-Brazili promete vingar a morte de seu 'mestre'.

Um perigo ignorado

O terrorista também usa suas publicações para convidar as pessoas a fazerem parte do grupo extremista e informa formas de 'contato seguro' aos interessados. Mas ser monitorado não é uma exclusividade de Al-Brazili, pois atualmente as autoridades nacionais estão monitorando 30 pessoas ligadas ao #Terrorismo.

Ainda que um eventual ataque seja evitado durante as Olimpíadas, as atividades desses elementos continuarão no Brasil e no mundo e o EI já havia avisado há alguns meses que tinha vários combatentes espalhados pelo Ocidente. O objetivo dos terroristas é outorgar um califado mundial até 2030 e para isso querem conquistar o mundo aos poucos.

Essa informação não se trata de uma especulação, mas foi e é amplamente divulgada pelos próprios terroristas através de vídeos populares na internet. Embora muitos ignorem suas ameaças, a pergunta que não quer calar é: O Brasil está preparado para lidar com o terrorismo dos extremistas do islã?

Deixe um comentário nessa notícia com a sua opinião sobre o caso. #Estado Islâmico #Rio2016