Os problemas diários vividos pelo carioca não se resumem nas consequências de uma péssima administração pública, mas também de criminosos audaciosos que acreditam que estão acima da lei.

Por volta das 3h30 desse domingo, 19, cerca de quinze meliantes fortemente armados com granadas e fuzis usaram um vendedor ambulante como escudo humano para adentrarem o #Hospital Municipal Souza Aguiar. Os bandidos confundiram o vendedor com um funcionário do hospital.

A ação criminosa visava resgatar o traficante Nicolas Labre Pereira de Jesus, vulgo 'Fat Family', que estava internado há sete dias após levar um tiro no rosto por conta de uma troca de tiros com a polícia.

Publicidade
Publicidade

O criminoso é tratado pelas autoridades polícias como suspeito de ser o chefe do tráfico na região em parceria com o seu irmão, Marco Antônio Pereira Firmino da Silva, vulgo 'My Thor', que está preso há quase dezesseis anos.

A ação criminosa

Os bandidos se dividiram em dois grupos, onde parte deles foram para o estacionamento do hospital e outra parte subiu para o sexto andar, onde o criminoso estava internado e escoltado por quatro policiais, uma vez que ao ter alta iria direto para a prisão.

Os ousados criminosos amparados pelos 'Direitos Humanos' do Brasil e amplamente defendidos pela esquerda, jogaram uma granada contra uma viatura que estava próxima à uma ambulância e graças aos veículos não estarem com ocupantes, vidas de inocentes não foram ceifadas.

Os policiais responsáveis pela escolta do traficante informaram que optaram em não reagir aos criminosos, pois temeram que ocorresse uma chacina dentro do hospital público.

Publicidade

Como citado anteriormente, os meliantes estavam fortemente armados e além disso, o hospital estava com diversos pacientes, a maior parte deles pessoas pobres que dependem do sistema público de saúde para se tratar.

A ação criminosa resultou no resgate do traficante que agora continuará, por tempo indeterminado, destruindo vidas de seu 'trono' nas comunidades cariocas e acreditando que viver no #Crime é viver acima da lei no Brasil, sobretudo, no Rio.

Vitimas

Um policial à paisana chegava para levar uma pessoa ferida ao atendimento quando trocou tiros com os criminosos e teve seu automóvel metralhado. O ferido que era levado ao hospital pelo PM era Ronaldo Souza, filho de um oficial da Marinha do Brasil, que por sua vez foi ferido pelos meliantes e não resistiu. 

o PM está internado em estado grave e precisou passar por um procedimento de emergência na manhã desse domingo, 19. Um enfermeiro também foi ferido por um tiro no abdômen e segue internado. A Secretaria de Saúde do Município ainda não informou o estado de saúde do enfermeiro.

Publicidade

Nenhum criminoso foi ferido no confronto ou na ação, para alegria dos defensores dos direitos humanos completamente invertidos que existe no país. Enquanto isso, três famílias se desesperam sem amparo de nenhum defensor dos humanos direitos: Os pais de Ronaldo, que perdeu sua vida quando buscava atendimento médico; a família do PM que não teve o nome divulgado para preservá-lo e estão na expectativa de que o mesmo melhore; e os familiares do enfermeiro, que estava apenas cumprindo mais um dia de trabalho ao ser interrompido por uma bandidagem que conhece mais a progressão de pena e 'seus direitos' do que muito formando em ciências jurídicas. #Violência