Mais uma mudança proporcionada pelo governo de Francisco Dornelles (PMDB), governador em exercício no Rio de Janeiro, pode causar desaprovação dos moradores da região metropolitana do estado. Por conta da crise econômica e financeira que atravessa o país, o estado do Rio foi um dos mais prejudicados, e os reflexos foram sentidos em setores essenciais, como a saúde e educação. A principal universidade, a UERJ, segue em greve sem previsão de término. Por causa das contas apertadas, Dornelles prometeu que vai reavaliar o benefício Bilhete Único (BU), que visa oferecer passagens mais baratas no transporte público para quem usa mais de uma condução diariamente.

Publicidade
Publicidade

De acordo com o governador, o ideal seria que o Bilhete Único só fosse oferecido para pessoas de baixa renda. Todos os outros deveriam pagar a passagem normalmente. Dornelles está deixando uma marca de controle extremo, pois recentemente também suspendeu o programa Renda Melhor e Renda Melhor Jovem.

"Não há uma unanimidade entre os membros do governo. A ideia inicial é limitar com base no imposto de renda", afirmou ele, sugerindo que os contribuintes que não são descontados poderiam fazer uso do Bilhete Único para transitar entre as cidades cobertas pelo benefício. A fala foi dada durante uma entrevista coletiva com jornalistas de diversas emissoras, impressos, rádios e sites de notícia para falar sobre as Reformas Administrativas de sua gestão, que preveem o arrocho nos gastos públicos e aumento da arrecadação.

Publicidade

Donelles afirmou também que o benefício que está implantado há mais de seis anos no estado é "complexo" e deve ser reavaliado para que cumpra seu dever com justiça. O governador interino do Estado disse também que há inúmeras irregularidades a respeito do Bilhete Único, e que muitas pessoas fazem uso dos cartões porque outras possuem, o que, para ele, não pode ser controlado nos próprios veículos.

Sem apresentar números, o governador apenas sugeriu o corte, e não disse quantos usuários serão prejudicados caso ocorra a medida.

Já a respeito da suspensão do Renda Melhor, exatas 122.569 famílias vão perder o benefício a partir do mês de setembro. #Rio2016 #Crise econômica #Crise-de-governo