Faltando pouco mais de um mês para o maior evento do ano, que vai ocorrer no Rio de Janeiro, os "Jogos Olímpicos", a cada dia aumenta mais o índice da criminalidade na cidade. São tantos relatos de  crimes e roubos que já se pensa não haver mais solução para o caso. Nesta segunda-feira, um grupo de policiais exibia uma faixa com os dizeres em inglês "Bem-vindos ao inferno", no aeroporto internacional do Rio, como forma de protesto pelos atrasos salariais. E ainda complementava que policiais e bombeiros estavam sem receber e, por isso, não havia nenhuma segurança na cidade.

Um dos casos mais chocantes foi o da atleta de tiro esportivo, Ana Paula Cotta de 27 anos, baleada na cabeça quando trafegava pela avenida Martin Luther King por volta das 5h da manhã, do dia 09 de junho.

Publicidade
Publicidade

A atleta vinha sozinha em seu carro quando foi abordada por bandidos que haviam parado o trânsito para roubar. Cotta tentou fugir e os marginais abriram fogo, o carro recebeu seis tiros, um deles atingiu a jovem no crânio. O mais irônico de tudo isso é que a delegacia fica a 500 metros de onde o #Crime ocorreu.

Também morreu baleado um policial que fazia a segurança do prefeito do Rio, Eduardo Paes, além de um corpo mutilado que foi encontrado na praia de Copacabana, onde serão realizados os jogos de vôlei. Outro caso que causou grande comoção foi o da médica que trafegava pela Linha Vermelha, zona norte da cidade e teve a triste surpresa de encontrar bandidos assaltando, infelizmente, ela levou um tiro na cabeça e morreu na hora 

Foram registrados 2.083 homicídios no Rio entre janeiro e maio, um aumento de 13,6% comparado ao ano passado.

Publicidade

Denúncias de 9.968 roubos de rua, só em maio. Segundo o ISP (Instituto de Segurança Pública), houve um aumento de 42,9% a mais do que em 2015. No mês de junho veio o golpe final, o governo do Rio de Janeiro decretou "estado de calamidade pública". Para poder receber do governo federal a quantia de R$ 2,9 bilhões e sanar as dívidas com salários atrasados, teve que admitir que estava falido. #Rio2016 #Violência