A população da cidade do Rio de Janeiro não deixou barato para Rojelson Santos Baptista, indiciado por esfaquear até a morte Christiane de Souza Andrade no bairro do Estácio, Rio de Janeiro. De acordo com a Divisão de Homicídios da cidade, os dois eram ex-namorados e Rojelson não suportou o fim e decidiu pressionar mais uma vez a dona de casa. Na ocasião, ela estava saindo do supermercado com sua filha de apenas sete anos. A jovem, mesmo em estado de choque, levou sua mãe para o Hospital Souza Aguiar de táxi e lá implorou por ajuda dos médicos e policiais.

No domingo, Rojelson foi identificado pela polícia, que já havia pedido a prisão temporária do suspeito, após colher informações com a família e no local do #Crime.

Publicidade
Publicidade

Contudo, ele foi encontrado ferido na rua. Moradores locais o acusaram do crime e decidiram vingar a dona de casa com as próprias mãos, batendo no bandido.

No dia do assassinato, foi gravado um vídeo por um cinegrafista amador que passava pelo hospital. As imagens repercutiram na internet e muitas pessoas se revoltaram com a situação. Quem assistiu percebeu a clara demora no atendimento à paciente, que veio a falecer. Um enfermeiro, ao ser perguntado pelo homem que filmava toda a triste cena de choro da menina, que era acolhida por policiais, respondeu: "você vai me ajudar?"

Faltando apenas algumas semanas para as Olimpíadas, o prefeito Eduardo Paes chegou a comentar o crime durante a inauguração de um trecho da Orla do Conde. "Não é normal numa cidade, uma criancinha de 7 anos de idade ver a sua mãe sendo assassinada por alguém aqui pertinho da prefeitura", declarou. O governante completou que é preciso se indignar para mudar.

Publicidade

Prisão recorrente

De acordo com o inquérito policial, Rojelson sabia de toda a rotina da ex-namorada, como ir ao supermercado na parte da noite. Os policiais informaram que, ao portar a faca, fica evidente a intenção do bandido de matá-la. Em seu depoimento, dado à polícia após se recuperar no hospital, Rojelson confessa o crime e também o que o levou a isso. O ex da dona de casa trabalhava como pedreiro e já passou pela polícia outras vezes. Em outra época, o bandido foi parar atrás das grades por tentar esfaquear uma companheira. #Investigação Criminal #Casos de polícia