Por conta própria, a delegação italiana contratou pedreiros, eletricistas e encanadores para realizar reparos em imperfeições no seu prédio da Vila Olímpica, no Rio de Janeiro. Segundo os europeus, algumas áreas estavam incompletas no edifício 20, onde os italianos ficarão instalados durante os #Jogos.

O Comitê Olímpico Nacional da Itália (CONI) publicou em seu site uma nota oficial informando que esses prestadores de serviços foram contratados em regime de urgência para que o alojamento receba condições “normais”. O comunicado ainda diz que a delegação italiana passou por situações imprevisíveis de emergência.

Carlo Mornati, chefe da delegação da Itália, pediu o máximo de compreensão dos atletas.

Publicidade
Publicidade

Ele espera que a situação logo se normalize.

A Itália não foi o único país a sentir incômodo com alguns problemas detectados na Vila Olímpica. Ainda no domingo, data da abertura oficial do alojamento, a Austrália se retirou do local alegando diversos problemas como vazamento, escadas sem luz, pisos sujos, problemas de eletricidade e cheiro de gás. A Argentina também fez reclamações, enquanto a África do Sul elogiou suas instalações.

Suecos também deixam a Vila

Insatisfeitos com as condições apresentadas, atletas suecos também deixaram a Vila Olímpica nesta segunda-feira, 25. De táxi, eles rumaram para condomínios em outras localidades. As reclamações eram as mesmas: vazamentos, sujeira e até entupimentos. Assim como os australianos, a delegação sueca bancará sua própria hospedagem e alimentação nos próximos dias.

Publicidade

O Comitê Rio 2016 acredita que até quinta-feira, quando faltará uma semana para a abertura das Olimpíadas, todos os apartamentos da Vila dos Atletas estejam em condições de serem ocupados. Nesta segunda, a Austrália mudou o tom das críticas e viu “fantástica evolução”, prometendo reocupar o seu prédio na quarta. #Rio2016