Aimée Laquite sofreu estupro na noite de domingo (03) por volta das 21h40, quando estava voltando para casa em Rio das Ostras, na Região dos Lagos, interior do estado do Rio de janeiro. A jovem conta que estava indo para casa no bairro Mar do Norte. Ela aguardava a van, condução mais utilizada na cidade, porém estava demorando muito a passar e acabou embarcando em uma "lotada" em direção a Macaé. O estuprador, identificado com o possível nome de Rafael, é de Niterói, caucasiano, com olhos azuis e aparentemente 35 anos, de acordo com relatos da vítima.

Aimée, que usou as redes sociais para divulgar a agressão, conta que o motorista seguiu o trajeto conversando com ela sobre o alto índice de estupro no município.

Publicidade
Publicidade

Quando o veículo aproximou-se da fazenda Itapebussus, ele quis parar o carro para urinar, foi quando começou a agressão. Rafael, como identificado, deu um soco na jovem e ainda a chutou. Ela relata que lutou muito com o motorista e que, mesmo assim, teve seu short rasgado e foi arrastada pela rodovia, até que conseguiu fugir.

"Foi a pior cena da minha vida, tomei um soco na boca, tapas na bunda, na cara, ele gritava horrorosamente comigo, introduziu o dedo dele em mim, me machucou absurdamente, horrível, eu não sei se agradeço por esta viva ou se ainda fico péssima por saber que vou carregar isso comigo pro resto da minha vida" - conta Aimée. A moça ainda relatou que não consegue esquecer a voz do seu estuprador e que ficou 20 minutos de calcinha e casaco, chorando e pedindo socorro aos motoristas que passavam no local.

Publicidade

A jovem ainda fala em seu relato que somente um casal parou, e muitas pessoas passaram por ela e só olhavam. Chegando na delegacia com o casal que a ajudou, havia uma senhora que passara por ela a pouco tempo e não havia parado, porém estava comunicando que havia "uma mulher seminua pedia socorro na rodovia". O caso foi registrado na delegacia da cidade e até o momento o suspeito não foi encontrado.

Risco de estupro em lotada

A lotada é um táxi clandestino, ou seja, não licenciado. Não há registros deste tipo de condução nos sindicatos de transporte e tão pouco uma identificação do veículo para o transporte de passageiros. Lotadas, em Rio das Ostras, é um tipo de condução usada constantemente pela população, por conta do menor número de vans (condução licenciada) aos fins de semana e o alto valor cobrado pela empresa de ônibus no município.

Quando uma pessoa entra em um veículo de um desconhecido, principalmente sozinha, corre risco de assalto, estupro e até de homicídio, pois não tem como saber a procedência do veículo ou a identidade de quem o está conduzindo.

#Investigação Criminal #Casos de polícia