O caso aconteceu em uma clínica na Zona Norte do Rio. O corpo de Caroline de Souza Carneiro, de 28 anos, foi encontrado em uma clínica na rua Joaquim Ottini, no bairro Senhor do Bonfim, na Baixada Fluminense. A 21ª Delegacia de Polícia de Bonsucesso investiga o caso e já ouviu duas pessoas que trabalhavam no local. A jovem que trabalhava em um centro de estética saiu de casa na última sexta-feira (19) para realizar o aborto. O ato teria sido em concordância com o namorado. O corpo da moça foi encontrado no local no mesmo dia, com sinais de agressão obstétrica. Ela, que morava em Paraíba do Sul, teria ido à zona Norte do Rio para dar fim à gestação de cinco meses sabida somente por ela e o companheiro.

Publicidade
Publicidade

Os outros familiares não tinham conhecimento da gravidez da jovem.

O namorado de Caroline ficou preocupado com a falta de notícias da moça e avisou os familiares que foram ao Rio à procura da jovem. Um primo teria ido ao local indicado pelo rapaz, que se deparou com trabalhadores da clínica clandestina da região. A Polícia Civil, que investiga o caso, descobriu que o dono do local já havia sido indiciado em 2013 por #Crime de aborto, porém foi liberado na mesma época. O edifício onde as cirurgias eram realizadas fica nas proximidades da casa do principal suspeito. O corpo da jovem tinha sinais que indicavam um procedimento cirúrgico: um corte profundo na região suprapúbica por onde teoricamente seria realizado o parto. A polícia ainda vai ouvir os suspeitos. Todos os envolvidos na quadrilha que organizava diversos abortos na região serão indiciados e podem responder na justiça.

Publicidade

A mulher foi enterrada segunda-feira (22) em Paraíba do Sul, onde morava. Os familiares disseram estar consternados com a notícia e não entendem porque a jovem tentou esconder a gravidez.

Outros casos semelhantes foram registrados no Rio de Janeiro desde o ano passado. Diversas outras clínicas que realizam abortos clandestinos foram identificadas. Em agosto de 2014, por exemplo, Jandira Magdalena dos Santos, de 27 anos, realizou um procedimento em Campo Grande, e teve posteriormente o corpo encontrado carbonizado em Mangaratiba. Os responsáveis pela morte da moça foram a júri popular e condenados. Os pais de Caroline esperam também justiça pela morte da filha, e buscam explicações sobre o que aconteceu no dia em que ela morreu. #Investigação Criminal