No dia em que a seleção olímpica de futebol feminino estreou nas Olimpíadas vencendo a China por 3x0, e que tudo parece estar pronto para a cerimônia de abertura da Rio 2016, criminosos armados renderam um motorista perto do Aeroporto do Galeão e sequestraram um ônibus lotado.

A dupla obrigou o motorista a percorrer aproximadamente 9 km, fazendo os passageiros reféns e recolhendo todos os seus bens, como celulares e carteiras. O caso aconteceu em plena luz do dia, por volta das 15h50, em frente ao prédio do curso de química da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Ao lado da universidade fica o aeroporto do Galeão, onde fuzileiros navais armados com fuzis fazem a escolta das delegações olímpicas e de turistas diariamente.

Publicidade
Publicidade

Os criminosos conseguiram passar pelos soldados sem serem notados.

A ação criminosa

A dupla deu sinal para o ônibus parar. Ao adentrarem o veículo, anunciaram o assalto. Armados com pistolas, um dos criminosos ficou perto do motorista, ordenando que ele seguisse rumo à Linha Vermelha, enquanto o comparsa recolhia dinheiro, celulares e outros pertences dos passageiros.

Após roubarem cerca de 40 pessoas, a dupla de meliantes se preparava para desembarcar da linha 485 (Olaria-Copacabana), em São Cristóvão, mas havia uma viatura da Polícia Militar no local. Por conta disso, o bandido armado ordenou que o motorista prosseguisse a viagem, mais uma vez conseguindo passar pelas autoridades de segurança sem serem notados.

O ônibus subiu o Viaduto Paulo de Frontin e seguiu pelo Túnel Rebouças, sem levantar qualquer suspeita sobre a conduta criminosa que acontecia dentro do veículo coletivo.

Publicidade

Os bandidos desceram em frente a uma igreja na Lagoa, tomando rumo desconhecido. Motorista e passageiros foram levados para a 14ª Delegacia de Polícia do Leblon, onde foi lavrado um boletim de ocorrência.

Nenhum órgão de segurança pública ou do governo comentaram o caso até o momento. Não há informações sobre a identificação ou prisão dos assaltantes. Cerca de 27 mil homens das forças armadas e nacional atuam no Rio de Janeiro durante os jogos olímpicos. #Olimpíadas #Exército #Crime