A evolução tecnológica permitiu a expansão extraterritorial de inúmeras empresas que se consagraram como gigantes do mundo online. O aplicativo Uber é uma dessas empresas, que rapidamente alcançou dezenas de países e milhões de usuários em todo o mundo. O serviço de transporte através de carros de terceiro revolucionou o sistema de transporte nas grandes capitais do mundo todo, mas enfrenta barreiras em algumas cidades. Poucos dias após as #olimpíadas no #Rio2016, dois motoristas do #UBER foram assassinados em menos de 24 horas.

Uber é considerado ameaça por taxistas que disputam clientes com aplicativo

O Uber é acusado pelos taxistas de ser um concorrente desleal ao sistema de transporte individual de passageiro que eles realizam habitualmente.

Publicidade
Publicidade

O serviço do Uber acaba sendo mais em conta e possui um atendimento personalizado, diferentemente dos táxis. O aplicativo ganhou o gosto dos brasileiros e já é muito utilizado em São Paulo e no Rio de Janeiro, onde dois motoristas foram mortos em menos de 24 horas. Até agora nenhum suspeito foi preso.

Dois motoristas do aplicativo Uber foram assassinados no intervalo de poucas horas

O primeiro caso de assassinato aconteceu na noite do último sábado (20) em Niterói. um motorista de van teria assassinado o motorista do Uber, que já foi identificado como Mayk Frem dos Santos. O motorista tem 38 anos e assassinou Iuri Martins de Pereira, de 24 anos, após discutirem sobre uma vaga de estacionamento reservada a vans. O suspeito do assassinato de Iuri já é considerado foragido da justiça. 

No segundo caso, o motorista foi assassinado dentro de seu carro com disparos de arma de fogo.

Publicidade

O motorista havia saído de casa para comprar pão e não retornou. O #Crime aconteceu poucas horas depois de Iuri ser assassinado, às três horas da manhã de domingo. O motorista assassinado foi Marcos Vinicíus de Oliveira Leite, vítima da #Violência no estado do RJ que deixa esposa e filho. A família só ficou sabendo do crime pela internet, quando imagens foram divulgadas por internautas no Facebook. Durante o assassinato, nenhum objeto de Marcos foi levado pelos criminosos.