O Exército decidiu ocupar neste sábado, 10, um trecho da Linha Vermelha utilizando tanques de guerra. O motivo foi que os soldados da corporação foram atacados com predadas e tiros durante os últimos dias. Os tiros estariam partindo de traficantes da região. A ocupação foi realizada próxima ao Complexo da Maré. De acordo com informações do jornal 'O Globo', não está descartada a possibilidade de se ocuparas favelas, caso os traficantes insistam em agir. A decisão considerada forte é de extremo risco e vem depois de uma reunião na sexta-feira, 09, quando bandidos dispararam contra uma tropa que trabalha no local. 

Na Linha Vermelha, além dos tradicionais meios de transporte, como carros, ônibus e motos, quatro tanques fazem parte da paisagem.

Publicidade
Publicidade

Eles patrulham a via. Três ficam parados com militares e o quarto circula na região. O coronel Mario Medina, porta-voz da Coordenação Geral de Defesa de Área (CGDA), que também trabalha para fazer a segurança da Paraolimpíada, disse ao Globo que as novas medidas estavam confirmados. Além disso, ele alega que o uso de tanques estava previsto e que apenas não tinham sido usados. O Rio de Janeiro não é o único município do estado que tem previsão desse tipo de ocupação, como também outras cidades, especialmente as da Baixada Fluminense, onde por conta do período eleitoral muitas ações criminosas estão sendo registradas. 

O jornal carioca diz que conversou com militares que estão trabalhando contra os traficantes. Os soldados informaram que apesar dos tiros, felizmente, ninguém ficou ferido.

Publicidade

Um dos ouvidos diz que ocupar a via com os tanques não é um desejo, mas que a violência grande pode fazer comunidades da Maré serem ocupadas. Segundo o entrevistado, que não teve o nome revelado, a Maré é uma área sensível para se planejar ações de segurança. Inicialmente, as Forças Armadas não seriam usadas para reforçar o patrulhamento da cidade, mas após um pedido formal do estado e a autorização do presidente Michel Temer, do PMDB, isso mudou.  #Crime