Um provável atentado político baleou e matou um candidato a vereador de Itaboraí, cidade da Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

José Ricardo Guimarães Costa (PTC), mais conhecido como Capitão Guimarães, de 49 anos, foi atingido por um tiro nas costas, no momento em que fazia campanha, juntamente com o prefeito da cidade e candidato à reeleição, Helil Cardozo (PMDB).

O #Crime aconteceu ao meio-dia deste domingo (25), na comunidade da Reta Velha. A vítima chegou a ser socorrida e encaminhada ao Hospital Municipal Desembargador Leal Júnior, mas não resistiu aos ferimentos e morreu antes mesmo de ser levado à UTI. O prefeito não sofreu nenhum ferimento.

Publicidade
Publicidade

O 35º BPM, lotado na cidade,  informou que os candidatos conversavam com eleitores quando um grupo de homens se aproximou perguntando se havia algum policial infiltrado no local.

Segundo o comandante do 35º BPM, Ruy França, testemunhas relataram que o Capitão Guimarães tentou fugir na garupa de uma moto, porém os marginais o perseguiram em outra motocicleta, até alcançá-lo. Nesse momento, um dos disparos de pistola atingiu o candidato nas costas.

O prefeito foi levado para sua casa, em segurança.

No momento do crime, cerca de 500 correligionários da candidatura da situação estavam presentes, além de outros candidatos à uma vaga na Câmara. Enquanto isso, o prefeito estava conversando com uma moradora dentro de uma residência.

A Divisão de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG) está responsável pela investigação do caso e já determinou realização de perícia no local do crime e demais trâmites para chegar à identificação de sua autoria.

Publicidade

Por sua vez, o prefeito Helil Cardoso postou um vídeo no Facebook apelando para o respeito aos parentes do Capitão Guimarães. Na publicação ele acusa adversários de usarem a situação para se promoverem. E se diz muito triste com o ocorrido.

Já por meio de comunicado escrito, o prefeito lamentou a morte do vereador, que também era coordenador de sua campanha.

Guimarães é capitão reformado da PM e já foi vereador. #Casos de polícia