A candidata à prefeitura do #Rio de Janeiro, #Jandira Feghali (PCdoB), enquanto deputada federal no processo de impeachment, foi uma das que mais combateu em defesa da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Jandira encarnou a esquerda contra a direita como poucos parlamentares. E, nesta reta final de campanha, ela está disposta a mobilizar muito mais seus eleitores e indecisos.

Segundo a última pesquisa Datafolha, divulgada no dia 22, Jandira aparece com 9% das intenções de votos, empatada tecnicamente com outros quatro candidatos. E, para garantir uma vaga no segundo turno, ela escalou a ex-presidente Dilma Rousseff, que já participou de seu comício na Cinelândia na quarta-feira dia (21) e agora se apresenta com o ex-presidente #Lula, na zona Oeste, na segunda-feira, dia (26) às 18h.

Publicidade
Publicidade

'Nossa agenda é com o maior líder popular do país. Marcamos numa área popular para valorizar o eleitor que mais sofre', disse em entrevista ao jornal O Globo

Lula que saiu com 83% de aprovação de seu governo, agora enfrenta denúncias do MPF, tendo sido  colocado no bancos dos réus, pelo juiz Sérgio Moro.

O crescimento ou barulho que a candidatura de Jandira Feghali está fazendo no Rio de Janeiro, mostra a força da candidata e o respiro que a esquerda ainda possui. Estar com o ex-presidente Lula e com a ex-presidente Dilma Rousseff em sua campanha é o reconhecimento de sua defesa pela democracia.

A adesão de artistas, notáveis e políticos à sua campanha cresce nessa reta final e já causa ruídos em outros setores da esquerda, como o PSOL, do candidato Marcelo Freixo. O deputado federal  Jean Willys (PSOL-RJ) criticou a candidatura de Jandira em sua rede social Facebook, neste sábado (24), 'a finalidade é dividir a esquerda para ajudar o candidato do PMDB', escreveu.

Publicidade

A uma semana da eleição, a candidata se prepara para os debates e comícios. Nas redes sociais sua campanha vem ganhando destaque com suas fortes declarações sobre seus principais adversários: Marcelo Crivella (PRB) e Pedro Paulo (PMDB).

E, nessa reta final, é com Lula que Jandira Feghali vai, sem medo de ser feliz.