Preso por espancar covardemente a namorada em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, Leonardo Vargas de Oliveira admitiu nesta sexta-feira (7) que foi o autor das agressões. Ele vinha negando a autoria do #Crime, mas não sustentou mais a versão de inocência depois de se ver a si próprio cometendo a #Violência em novas imagens divulgadas pela polícia. A vítima, Juraci Pereira da Silva, está internada em coma induzido.

O acusado foi preso na quinta-feira (6), em sua residência. As imagens de câmeras de segurança que registram o crime são chocantes. Ao confessar os atos, Leonardo justificou que usou de violência física porque Juraci não quis subir na garupa de sua moto após ambos saírem de uma escola de samba.

Publicidade
Publicidade

Imagens mais nítidas apreendidas pela polícia mostram claramente que depois de atropelar a namorada com uma motocicleta, o homem segue batendo nela. Depois de ser atropelada, ela se levanta e tenta se defender. Então ele a derruba e bate a cabeça na queda. Ele segue chutando sua cabeça e depois a arrasta já desacordada para a outra margem da via.

Os dois namoravam havia três anos. Uma parente de Juraci falou à imprensa sobre o drama que a família está vivendo.  Disse que não há previsão se a moça terá uma vida normal depois de acordar do coma. Temem que ela possa ficar com sequelas. No momento, a administradora de empresas segue em estado grave, entubada e com uma infecção pulmonar.

As cenas foram registradas no dia 25 do mês passado.  E esta não é a primeira vez que Leonardo é acusado de violência doméstica.

Publicidade

Em sua ficha policial constam três passagens por bater em mulheres. A própria Juraci já havia sido vítima de agressão, mas na época preferiu não registrar boletim de ocorrência contra o namorado.

Com o novo episódio, Leonardo vai ser indiciado por tentativa de homicídio.

Como aconteceu

De acordo com a polícia, o casal tinha ido a uma escola de samba no dia 24. A família estranhou quando na madrugada do dia 25, por volta de 3 horas da manhã, Leonardo voltou à casa da namorada dizendo que ela tinha sumido.

Os parentes começaram a procurá-la e tiveram a informação de que ela estava internada no Hospital da Posse. O rosto da administradora estava totalmente desfigurado, a ponto de os parentes só conseguirem identificá-la por um sinal de nascença no pé. Se condenado, o acusado pode pegar até 30 anos de prisão.

#Casos de polícia