Na manhã deste sábado, 1º de outubro, ocorreu um tiroteio na região onde ficam localizadas as comunidades Coroa, Fallet e Fogueteiro, na região central do Rio de Janeiro. A intensidade do tiroteio causou pânico. Um morador de um bairro vizinho ao local encontrou uma bala perdida dentro do quarto de seu filho.

O morador identificado apenas como José Carlos, residente no Catumbi, bairro vizinho ao Morro da Coroa, contou que durante o tiroteio ouviu um estampido no quarto de seu filho e, quando foi averiguar o que tinha acontecido, percebeu um furo no guarda-roupa da criança. A bala teria perfurado também o álbum de nascimento.

Publicidade
Publicidade

Felizmente, não tinha ninguém neste cômodo da casa no momento em que o projétil entrou pela  janela.

Apesar de existirem informações de que o confronto teria começado na madrugada, não há confirmação de feridos. Nas redes sociais, especula-se que uma disputa de poder entre facções rivais.

Durante um patrulhamento de rotina na região, nas imediações da Rua Itaperu, a polícia pacificadora foi atacada por homens armados. Por medida de segurança, a principal via que dá acesso ao local teve que ser interditada para circulação de veículos.

Os motoristas, assustados, voltavam de ré pela via Elevado Paulo de Frontin que leva ao túnel Rebouças, para desviarem do local. O policiamento foi reforçado por Equipes do Batalhão da Policia de Choque (BPChoque), 4º Batalhão da Polícia Militar(BPM) e outras unidades que permanecem no local.

Publicidade

Apreensões

Segundo a Coordenadoria da Polícia Pacificadora, na operação, os policiais prenderam quatro homens, armas e drogas na região do confronto. Três desses homens foram presos no Morro da Coroa e om eles foram encontrados dois fuzis.

A outra prisão ocorreu no Fogueteiro. O homem foi preso pelo Batalhão da Policia de Choque e foram apreendidas 2.011 trouxinhas de maconha mais dois tabletes de maconha prensada. Ele foi encaminhado à Cidade da Polícia no Jacaré, na Zona Norte do Rio de Janeiro, onde a ocorrência foi registrada.

Algumas Unidades da Polícia Pacificadora continuam no local para evitar novos confrontos entre as facções criminosas rivais e manter a segurança de moradores do local. Até o momento do fechamento da matéria, não havia informação sobre mortos e feridos. #Crime #Investigação Criminal