A cidade do #Rio de Janeiro está sendo alvo de toda a justiça nacional por causa da queda de um helicóptero, matando quatro policiais militares, durante um confronto com bandidos na Cidade de Deus. Depois de toda repercussão, a polícia resolveu ocupar a Cidade de Deus e todo um reforço na segurança nas favelas do Rio pode acontecer. As notícias, no entanto, podem não ser favoráveis para a população de #São Gonçalo e #niterói, região metropolitana do Rio.

Com a ocupação, bandidos podem migrar para São Gonçalo e Niterói, que não têm um efetivo maior da segurança pública. Cabe lembrar que trata-se de uma tendência visto que uma pesquisa, revelada em uma reportagem do jornal O Globo, mostra que, depois que as favelas do Rio foram pacificadas, os índices de violência nessas cidades aumentaram em 186,6%.

Publicidade
Publicidade

Os dados foram apontados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP).

“O aumento do número de homicídios e assaltos a transeuntes está ligado a migração de bandidos das áreas pacificadas do Rio para os municípios vizinhos. Esta migração é estimulada pela falta de policiais nestas cidades”, disse o presidente do CCSSG, Carlos Alberto de Paula.

Carlos Alberto afirmou que a extinção de unidades em São Gonçalo e Niterói contribuiu para o aumento da criminalidade. “As principais delegacias da cidade têm poucos policiais e quase todos prestes a se aposentar. O comandante do batalhão e os delegados estão empenhados, mas alegam que não possuem recursos para trabalhar. Infelizmente, eles não anunciaram nenhuma medida efetiva para a mudança do quadro de insegurança.”, comentou.

Morte dos PMs

Quatro PMs morreram na queda de um helicóptero na última semana.

Publicidade

O governador Luiz Fernando Pezão lamentou a morte dos policiais militares e decretou luto de três dias. A causa da queda ainda é um mistério para a perícia, que ainda não divulgou o laudo. A aeronave pode ter tido uma pane técnica ou pode ter sido atingida por um disparo feito por criminosos. O deputado Bolsonaro, inclusive, criticou a apresentadora Fátima Bernardes por ter feito uma enquete polêmica. O político chamou tanto a apresentadora quanto a mídia de ‘marginais’.