Não para de crescer a ousadia dos traficantes que têm por trás o poderio de facções mais bem armadas que as polícias dos estados brasileiros.

Os bandidos não são só ousados, como exibem sua valentia de maneira multimídia. Nas redes sociais eles estrelam fotos e até vídeos, sorridentes ou com cara de mau.

Nas imagens o objetivo é sempre o mesmo: ostentar poder e mandar um recado aos adversários de que estão bem armados.

Tempos atrás, um traficante da região de Belford Roxo, na Baixada Fluminense, teve a coragem de gravar e compartilhar um vídeo onde aparece mostrando de cara limpa e muito contente seu fuzil. No vídeo ele está ao lado de outros comparsas, como que celebrando a criminalidade.

Publicidade
Publicidade

O material foi publicado no aplicativo para celular WhatsApp e espalhou-se. O jovem, que não aparenta ter mais do que 30 anos, acabou pagando pela vaidade. Na quarta-feira passada (9), ele foi preso e identificado como o protagonista do vídeo que circulou durante dias, de celular em celular.

Segundo informaram as autoridades policiais, o homem foi capturado após ser baleado durante um confronto com a polícia militar da Baixada Fluminense.

Depois de atingido ele foi encaminhado para o Hospital do Joca, em Belford Roxo. O rapaz é velho conhecido das delegacias. Quando recebeu voz de prisão ainda chegou a resistir. Depois de imobilizado, os policiais militares se depararam com mais de 120 sacolés de maconha, mais de 200 pinos de cocaína e um fuzil. Tudo estava em poder do acusado.

E não é de hoje que os bandidos passeiam impunes pelos aplicativos de comunicação digital, inclusive se utilizando dos mesmos como ferramenta de trabalho.

Publicidade

Em abril de 2014, um outro caso de exibicionismo via WhatsApp ganhou as páginas policiais. Foi em Manaus, no bairro Santo Agostinho. Um traficante resolveu tirar fotos com um fuzil de calibre 5.56, fabricado na Alemanha, e com altíssimo potencial de fogo.

Na época, os moradores da comunidade reclamaram que as fotos eram exibidas pelo aplicativo como uma maneira de intimidação. Com as imagens o traficante queria mostrar que era ele quem mandava na área.

#Crime #Casos de polícia