Na manhã desta terça-feira (08), o Portal dos Procurados divulgou um cartaz com a identidade de Rafael de Souza Fontinha, acusado de abusar sexualmente e assaltar uma jovem. O #Crime aconteceu em agosto deste ano, em Marechal Hermes, na Zona Norte do Rio de Janeiro, e o suspeito vem sendo procurado deste então. Segundo os registros policiais e as investigações o acusado teria estuprado a mulher depois de uma tentativa de assalto.

A polícia busca por informações sobre o paradeiro do criminoso, e, para auxiliar nas buscas, divulgou hoje uma recompensa de mil reais para quem tiver algum dado sobre a localização do mesmo. Segundo a polícia, a mulher estava andando em direção ao trabalho quando foi abordada por Rafael, que estava armado e anunciou um assalto.

Publicidade
Publicidade

A jovem teria sido obrigada a entrar em um veículo, onde o acusado começou a mexer em sua bolsa e a passar a mão em suas pernas. Ainda dentro do mesmo carro, ele teria dirigido para uma outra rua com pouco movimento do mesmo bairro, onde parou e apontando a arma para a cabeça dela a ameaçou de morte enquanto abusava sexualmente dela. Ele teria pedido à mulher que abaixasse as próprias calças e a teria estuprado dela durante vários minutos.

Desde o dia do Boletim de Ocorrência, o caso vem sendo investigado pela 30ª Delegacia de Polícia de Marechal Hermes, onde os agentes conseguiram chegar à identidade de Rafael como o principal suspeito de ter cometido o crime. Ele tem passagem na polícia por vários outros delitos como tráfico de drogas, associação para o tráfico de drogas e lesão corporal por violência doméstica.

Publicidade

A Justiça decretou a prisão preventiva do suspeito e a polícia segue na tentativa de identificar seu paradeiro. Rafael já teria ficado preso algum tempo pelos outros crimes que cometeu, mas acabou saindo após cumprimento da pena e prescrição de alguns crimes.

Agora a Portal dos Procurados pede ajuda para quem tiver alguma informação, as denúncias podem ser feitas via WhatsApp dos Procurados (21)968021650, pelo facebook (inbox), e pela mesa de atendimento do Dique-Denúncia (21)25531177, sendo que qualquer informação é dada de maneira anônima. #Casos de polícia