Em sua conta pessoal do Instagram, o pastor Marcos Pereira da Silva, líder da Igreja Assembleia de Deus dos Últimos Dias, postou um vídeo no final de outubro, no qual aparece abençoando o então governador em exercício do Rio de Janeiro, Francisco Dornelles – que desde a última terça-feira regressou ao cargo de vice-governador.

O perfil do pastor na rede social Instagram tem mais de 33 mil seguidores, e o vídeo curto no qual ele aparece fazendo a benção com a mão sobre a cabeça do vice-governador teve quase duas mil visualizações. Na legenda, Marcos descreve a cena, de que está orando o governador do Rio e complementa que está em sua cidade São João Del Rey, fazendo um trabalho lindo nos presídios e cita quatro irmãos que estariam junto dele na ação.

Publicidade
Publicidade

Passado do pastor

Em 2006, Marcos foi acusado de ter abusado de uma fiel nas dependências da própria igreja Assembleia de Deus dos Últimos Dias, ele chegou a ir para á prisão em 2013, por ter sido condenado pela 2ª Vara Criminal de São João de Meriti, em primeira instância, a 15 anos de reclusão pelo crime de atentado violento ao pudor. Mas no ano seguinte, no mês de dezembro de 2014, depois de 19 meses de cárcere, o pastor conseguiu liberdade após habeas corpus concedido pelo STF.

Além disso, ele já teve de responder na Justiça pelo crime de associação com o tráfico de drogas. Porém, dessa vez, o pastor Marcos foi inocentado em primeira e também em segunda instância.

Não foram somente essas vezes em que o pastor se envolveu em casos polêmicos. No ano de 2015, escutas autorizadas pela Justiça foram investigadas pela polícia, nas quais Marcos Pereira tinha conversas picantes com fiéis da Assembleia de Deus dos Últimos Dias.

Publicidade

No total, foram quatro diálogos. Em um deles o pastor finaliza o papo insinuando que está com saudade do “rabo” da fiel, já em outra conversa, a mulher do outro lado da linha afirma que o pastor iria gostar de suas peças íntimas e ele ri.

Procurado pela reportagem do jornal O Extra, o vice-governador Francisco Dornelles não quis falar sobre o assunto de sua bênção.

#Investigação Criminal