O Bom Dia Brasil, programa de televisão da Rede Globo, transmitiu hoje (22) um #Vídeo em que pai e filho foram executados na porta de casa em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense – RJ, no último dia 15. As imagens mostram exatamente o momento em que bandidos fortemente armados aproximam-se das vítimas Marcus Vinícius do Nascimento Campos, de 31 anos, e José Marques Campos, de 62 anos, e disparam dois tiros. Primeiramente, Marcos foi alvejado e em seguida seu pai.

A Divisão de Homicídios da Polícia Civil local informou que estão sendo feitas investigações a fim de elucidar o caso, descobrir o motivo do #Crime, bem como identificar os suspeitos de tamanha brutalidade.

Publicidade
Publicidade

Em entrevista, parentes das vítimas informaram que pai e filho trabalhavam juntos na Prefeitura do Município de Itaguaí.

Revolta

Pesquisa feita pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), divulgado em agosto, aponta que o número de assassinatos na Baixada Fluminense aumentou 30% em julho de 2016, comparado com o mesmo período de 2015. A estatística assustou moradores, já que em todo o Estado do Rio de Janeiro o aumento foi de 20%, ou seja, menor que o registrado apenas na Baixada.

De acordo com informações da Polícia Militar, há 6 Batalhões responsáveis pelos 13 Municípios da Região. O Batalhão de Mesquita, que patrulha Nilópolis e Nova Iguaçu registou em julho de 2016 um aumento de 80% no número de homicídios, comparado com o ano anterior.

Segundo o Instituto Médico Legal de Nova Iguaçu, são recebidos no local diariamente cerca de 9 corpos de vítimas da #Violência na região.

Publicidade

Em Queimados, próximo a Nova Iguaçu, estatística levantada pela Polícia Militar revelou que a cada 100 mil habitantes há 6,1 mortes.

O alto índice de mortalidade na Baixada Fluminense se deve às constantes guerras entre traficantes, com o objetivo de tomar ou recuperar bocas de fumos.

Nas comunidades K11 e Coreia, localizadas em Nova Iguaçu e Mesquita, a guerra entre as facções criminosas tem expulsado cidadãos honestos de suas casas. Em um ano estima-se que 20 pessoas, entre elas seis policiais, foram coagidas a abandonar suas casas.

Confira as imagens: