Duas filmagens amadoras têm circulado por aplicativos de celulares e podem ajudar na investigação da queda do helicóptero da Polícia Militar, no fim de tarde deste sábado (19), que ocorreu próximo à Cidade de Deus, comunidade localizada na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Em um dos vídeos filmados por alguém que estava na região, dá para ouvir uma sequência de barulhos, que podem ser tiros ou rojões, enquanto o avião sobrevoa com baixa altitude a região se aproximando das residências da comunidade. Os moradores da Cidade de Deus, assustados, saem de uma rua estreita e começam a se dispersar. Há fumaça e fogo no chão. Um dos rapazes que está com um grupo tem um fogo de artificio nas mãos, o que pode ser confundido com barulho de tiros.

Publicidade
Publicidade

Ele veste uma camiseta preta e branca com vários dizeres nas costas e uma bermuda preta, amarela e vermelha, com imagem de coqueiros.

Outra filmagem mostra o helicóptero um pouco mais distante, por detrás de árvores que beiram um córrego. O cinegrafista amador comenta “está no mato, está ali olha”, alguns até dizem que este seria outro helicóptero, e mais barulhos são ouvidos, desta vez em maior quantidade, até o helicóptero sumir atrás de um conjunto residencial.

Desdobramentos da tragédia

As imagens estão sendo compartilhadas pelas pessoas por meio do aplicativo de celular WhatsApp. Quatro policiais militares que estavam no helicóptero morreram com a queda, que aconteceu na Avenida Ayrton Senna, próximo ao acesso à Linha Amarela, via expressa do estado do Rio de Janeiro, que ficou fechada por quase três horas após acidente.

Publicidade

As vítimas que estavam na aeronave são: Rogério Felix Rainha, Rogério Melo Costa, William de Freitas Short e Camilo Barbosa Carvalho. Eles eram sargento, Major, capitão e subtenente, respectivamente da organização.

De acordo com o G1, durante o sábado houve tiroteios intensos durante o dia e mais cedo havia tido troca de tiros entre policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Cidade de Deus e de criminosos da comunidade. #Crime #Casos de polícia