Está cada dia mais difícil circular no Rio de Janeiro. Com o aumento da violência a cada dia, os moradores e turistas da Cidade Maravilhosa têm uma nova preocupação: #assalto a mão armada no Metrô.

A evolução dos assaltos

Após o sofrimento da população carioca com os assaltos a ônibus convencionais, executivos (popularmente conhecido como tarifa ou frescão), arrastão na praia e assaltos de rua, surgiu uma nova modalidade de assalto: o assalto no metrô. Os incidentes costumam acontecer por volta das 10 horas da noite na linha 2 (Pavuna-Botafogo) entre as estações Pavuna e Acari.

Mesmo com a prevenção e presença de seguranças do Metrô Rio nas plataformas para preservação dos passageiros, a medida não está sendo suficiente já que os próprios funcionários do Metrô dizem ser algo comum e normal dentro desse horário.

Publicidade
Publicidade

Confira o relato de um passageiro através de sua rede social

E em seguida, os comentários dos usuários

"Foi o que aconteceu comigo num sábado neste mesmo horário no metrô. E o engraçado é ver que quando chega na Central p zona Sul se existem seguranças dentro dos vagões, vindos de lá contamos com a sorte e aquele botão ao lado da porta." - Renan Rey de Souza em resposta ao Felipe Pais

"Caramba. Menos mal que está bem. Eu soube há uns meses desses assaltos nos últimos carros a essa hora na L2. Desde então fiquei receoso." - Daniel Machado em resposta ao Felipe Pais

São inúmeros comentários na postagem sobre o mesmo incidente.

O mais preocupante é a naturalidade com que as pessoas levam isso e com que os próprios funcionários da companhia relatam que acontece sempre.

Até quando isso vai acontecer? Até quando pessoas serão assaltadas? Até quando estudantes, trabalhadores; idosos perderão seus pertences por bandidos? Até quando a população ficará a mercê de bandidos espalhando caos e desordem e o governo fechando os olhos pro que acontecem com as pessoas? Até quando cidadãos de bem serão mortos por conta de um celular ou R$10 na carteira?

A população pede socorro e grita não aguentar mais com esses incidentes que poderiam ser evitados pelo poder público.

Publicidade

#MetrôRio #Violência