Crimes de estupros contra crianças, adolescentes e mulheres são uma barbaridade que infelizmente continua acontecendo não só no Brasil, mas em todo o mundo. Os policiais jamais esperam descobrir que os estupradores são, na verdade, a mãe, pai e avô da vítima. Foi justamente isso que aconteceu com uma criança de 7 anos que estava sendo não só violentada sexualmente, mas também torturada pela própria mãe.

Segundo informações da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV), que está investigando um #Crime de estupro que chocou a todos, a acusada é a própria mãe da vítima, identificada como Simone Machado, de 44 anos, que chegou a levar a criança toda machucada a uma unidade médica relatando que a mesma tinha caído de uma escada.

Publicidade
Publicidade

Só que os médicos, ao examinarem a vítima, descobriram que as lesões que a mesma apresentava não batiam com a versão dada pela acusada e de imediato a polícia foi acionada para poder investigar o caso.

De acordo com a polícia, no decorrer das investigações, foi descoberto que a acusada permitia que a sua filha fosse violentada sexualmente por vários homens e, o mais surpreendente de tudo, é que entre os estupradores estavam o pai e o avô (de consideração) da vítima.

No entanto, a polícia está investigando se a mãe da vítima cobrava dinheiro dos estupradores para que estes abusassem da menina. Segundo informações, a suspeita ainda tentou escapar da polícia, mas acabou sendo capturada.

Conforme relata o delegado Rodrigo Moreira, a mulher alegar ter nojo da criança. A menina está em estado lastimável, tanto emocionalmente como fisicamente.

Publicidade

Ainda de acordo com Rodrigo, a outra filha da mulher, uma menina de 12 anos, era obrigada a participar de tudo, tanto dos abusos como das torturas.

Rodrigo disse também que os parentes da menina foram chamados para prestar depoimento e que alguns mostraram interesse em lutar pela guarda da vítima.

No entanto, a mulher ainda tem outros 5 filhos e a polícia suspeita que os mesmos também sofriam abusos. Já a criança segue internada, sem previsão de alta médica. A investigação segue em andamento para identificar os abusadores e demais envolvidos. #Violência #Casos de polícia