Na manhã desta terça-feira (20), a Polícia Civil do Rio de Janeiro, cumpriu dois mandatos de busca e apreensão no estado de São Paulo, nas cidades de Itaquaquecetuba e Guarulhos. Esses mandatos fazem parte da operação Gagliasso, que vem investigando a denúncia feita pelo ator, de ofensas racistas feitas pela internet a sua filha de 3 anos, com a atriz Giovanna Ewbank.

Segundo as investigações policiais, um dos suspeitos é menor de idade. A polícia informou que uma adolescente de 17 anos confessou ter envolvimentos nas ofensas raciais a filha do casal de atores. De acordo com a menor ela teria criado um perfil falso, para pode realizar as ofensas, achando que assim não seria descoberta.

Publicidade
Publicidade

Além da adolescente, outras sete pessoas foram levadas ao Departamento de Policia para prestar esclarecimentos.

A operação foi realizada com a Delegacia de Repreensão aos Crimes de Informática (DRCI), juntamente com Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE).

As delegacias e departamentos trabalharam em conjunto com a Policia Cívil para exerce um trabalho mais completo de informação, e ajudar na localização e punição dos envolvidos nas ofensas de cunho racista.

Registro da Ocorrência

Bruno Gagliasso e sua esposa Giovanna Ewbank, registraram queixa no dia 16 de novembro deste ano, após publicarem em uma rede social uma foto em família. Em que os dois apareciam ao lado de sua filhinha de 3 anos, a pequena Titi. A criança de origem africana teria sido adotada pelo casal ainda este ano.

Publicidade

O casal de atores conheceu amenina, ano passado, ao irem a Malaui, no Sul da África, em apoio a uma instituição que manda donativos para crianças carentes.

Após Giovana publicar a foto com marido e afilha, recebeu comentários racistas a respeito da criança. O casal decidiu registrar ocorrência para que os autores não ficassem impunes.

As investigações

A polícia segue as investigações para identificar e punir outras pessoas envolvidas nas injurias raciais, aplicadas à filha de Gagliasso. A polícia irá se pronunciar ainda sobre o destino da menor que foi apreendida, e não revelou também o conteúdo do depoimento das outras sete pessoas que também foram ouvidas.

#Crime #Casos de polícia