Andréa Pinto, contratada pela prefeitura de São Gonçalo, no Rio de Janeiro, como subsecretária de Fiscalização e Licenciamento, foi denunciada pelo Ministério Público do Rio por nunca ter ido trabalhar, e mesmo assim receber a quantia mensal de R$9.200.

A descoberta foi por acaso. O ministério Público investigava denúncias sobre fiscalização e licenciamento envolvendo a Secretaria Municipal de Meio Ambiente. Foi ai que chegaram a secretaria de Andréa e ao ser procurada, os funcionários disseram que ela nunca foi trabalhar.

O MP decidiu abrir uma investigação e descobriu que Andréa é ‘funcionária’ da secretaria desde 2015 e que no ano de sua posse, recebeu a quantia de R$82.800 e desde janeiro de 2016, já recebeu R$92 mil.

Publicidade
Publicidade

Somando os dois anos de salário, Andréa já embolsou quase R$175 mil, sem ter trabalhado um dia se quer.

Outro detalhe intrigante do fato é que desde a sua posse, em março de 2015, Andréa possui uma folha de ponto que afirma que ela compareceu ao trabalho todos os dias, mas na prática não é o aconteceu. O Ministério Público denunciou a servidora pública e aguarda decisão da justiça para que a mesma passe a ser ré, podendo ser presa em uma eventual condenação.

A servidora, por sua vez, ainda não se pronunciou publicamente sobre o ocorrido. A prefeitura de São Gonçalo também não falou sobre a servidora fantasma. Atualmente o Rio de Janeiro encarra uma de suas piores crises financeiras, a ponto do governo do estado não ter dinheiro para pagar o salário dos funcionários. A crise se estende para as prefeituras, que se dividem entre as que estão com as contas equilibradas, apesar da baixa arrecadação e as que estão no vermelho.

Publicidade

Embora o caso dessa servidora do Rio tenha chocado muita gente, o caso é mais comum do que se pode imaginar. Funcionários fantasmas e nepotismo são os principais atos ilícitos cometidos em gestões municipais, além do desvio de dinheiro público e superfaturamento de obras municipais. Muitos prefeitos já foram condenados e perderam seus direitos políticos por conta de problemas desse tipo durante suas respectivas gestões. #Crime #Corrupção #Casos de polícia