O ano de 2017 mal começou e junto com ele, o novo prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, começou suas mudanças na cidade. Após a cerimônia de sucessão da prefeitura e enfim empossado como #prefeito, #Crivella já começou os trabalhos de maneira árdua. Um dos seus primeiros atos à frente da cidade foi fazer um decreto que extingue o pedágio na Linha Amarela para motociclistas.

Segundo nota da concessionária Lamsa (empresa que gerencia a estrada), desde o meio-dia do último domingo (01/01) as motos já passam pela cabine do pedágio sem ter a necessidade de efetuar o pagamento. A mesma também informa, no entanto, que fará avaliações cabíveis para mostrar à prefeitura seu entendimento sobre o novo decreto.

Publicidade
Publicidade

Isso se dá por conta do trecho do texto do decreto 42.771, de 1° de Janeiro de 2017, "Caso entenda pela inviabilidade da medida ora adotada sem revisão do contrato de concessão, a concessionária deverá apresentar requerimento devidamente fundamentado acompanhado de comprovantes que justifiquem eventual desequilíbrio econômico-financeiro e sugestão das correspondentes medidas compensatórias.".

E não foi apenas esse decreto feito pelo recém empossado. Foram, no total, 80 decretos assinados por Crivella em seu primeiro dia na prefeitura da cidade do Rio de Janeiro. Além das mudanças na área de transporte, houve também decretos que foram determinados para outras áreas, como da saúde, educação, entre outros.

O prefeito também iniciou as parcerias público-privadas, dando um prazo de 180 dias para que seja estudada a possibilidade da municipalização do Teatro Municipal, do Maracanã e da nova sede do Museu da Imagem e do Som, por meio das PPs (Parcerias Público Privadas).

Publicidade

Vale lembrar ainda sobre a possibilidade de uma municipalização do Maracanã, que, durante a sua campanha, Crivella prometeu fazer uma PP no Maracanã em parceria com o clube de futebol Flamengo.

Além dos decretos, o novo prefeito da cidade maravilhosa, pediu à Fazenda a elaboração de um plano para renegociar a dívida pública da prefeitura. #riodejaneiro