Não será a primeira vez - e, provavelmente, nem a última - que os desfiles das escolas de samba do Rio vão acontecer debaixo de chuva, caso a previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) se confirme. Pode chover durante a noite e madrugada de domingo e segunda-feira, com pancadas fortes ao longo do período.

Se, para algumas escolas, o aguaceiro é motivo de preocupação, pelo menos uma agremiação está otimista com a possibilidade de desfilar na chuva: a Beija-Flor de Nilópolis. Em 1986, a escola, que não estava entre as favoritas, foi um dos destaques, num desfile em uma grossa lâmina d'água que cobria a barra do vestido das baianas, que, nem por isso, perderam a elegância.

Publicidade
Publicidade

Com o samba enredo "O mundo é uma bola", a azul e branca conquistou o vice-campeonato, ficando atrás da Mangueira.

Em 2004, a escola demonstrou afinidade ainda maior com São Pedro. Foi campeã debaixo de tempestade, com um samba que cantava a Amazônia e tinha entre seus versos uma exaltação à chuva: "A lágrima que o trovão derramou, água que lava minh´alma ao matar a sede da população".

Em 2017, a escola já levou o prêmio de melhor samba enredo pelo júri organizado pelo jornal “O Dia”, do #Rio de Janeiro, com a composição sobre “Iracema, a virgem dos lábios de mel”, letra baseada na obra clássica de José de Alencar, “Iracema”. Se a chuva der mesmo o ar da graça, pode selar a sorte da escola na avenida.

Para os foliões que curtem os blocos na cidade – mais de 1 milhão de pessoas estão no Rio para o #Carnaval, segundo a Secretaria de Turismo – a chuva não deve atrapalhar a festa.

Publicidade

A previsão para o dia de domingo, segunda e terça-feira é de sol, com algumas nuvens, e possibilidade de chuvas isoladas.

Os cariocas e turistas têm à disposição uma infinidade de blocos - 470 foram autorizados pela Prefeitura - que se espalham por toda a cidade, do Centro à Barra da Tijuca, passando pela Zona Sul, onde se concentra o maior número de visitantes. A tradicional Banda de Ipanema, celebrada desde o tempo de Tom e Vinícius, e o Cordão do Bola Preta, com mais de 5 décadas na ativa, são os destaques e chegam a trair mais de 100 mil foliões em apenas um dia. #2016