O tradicional brilho do carnaval do Rio de Janeiro, um dos eventos mais populares do mundo, foi ofuscado pela apreensão e pela dor na edição de 2017. Dois acidentes envolvendo carros alegóricos de duas escolas distintas espalhou preocupação pela Sapucaí. Logo no domingo, primeiro dia oficial de desfiles, uma alegoria da Paraíso do #Tuiuti apresentou falhas e se chocou contra pessoas, deixando 20 feridos.

Uma das vítimas que mais gerou preocupação e segue em estado grave, segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), é Maria de Lurdes Maura Ferreira. Ela trabalhava normalmente na cobertura do evento para a emissora de rádio em que trabalhava, a Ativa PM, para quem fazia o trabalho de pista.

Publicidade
Publicidade

Atingida pela alegoria, ela acabou tendo fraturas nas pernas e traumatismo craniano. A gravidade das lesões a levaram ao Centro de Terapia Intensiva do Hospital Souza Aguiar, onde permanece internada, respirando com a ajuda de aparelhos.

O acidente com a Tuiuti foi originado após a perda do controle do carro alegórico, que já avançava pelo sambódromo. Desgovernado, ele prensou algumas pessoas na grave que separa a pista da arquibancada. Bombeiros tiveram que agir rápido para serrar a grade e liberar as vítimas presas nas ferragens.

A jornalista Bárbara Campello, uma das atingidas no acidente, disse que teve sorte em entrevista à CBN. Ela lamentou a situação das colegas, que acabaram sendo acometidas com mais gravidade. "Agradeço a Deus. Teve casos bem piores que o meu. Uma amiga teve fratura exposta na perna, outras ficaram prensadas na grade.

Publicidade

Fui derrubada, e quase parei embaixo do carro", disse Bárbara, que teve luxação e lesões leves no braço.

Além de Maria de Lurdes, outras duas vítimas do acidente com a Paraíso do Tuiuti seguem internadas. Elizabeth Jofre e Lúcia Regina de Mello Freitas têm quadro estável, mas sem previsão de alta.

Acidente com carro da Tijuca deixa 12 feridos

O clima de preocupação voltou a aparecer nesta segunda-feira, último dia de desfiles do Grupo Especial no Rio de Janeiro. Uma estrutura de um carro alegórico da tradicional Unidos da #tijuca cedeu e acertou membros da própria escola; 12 ficaram feridos, dos quais dois permanecem internados em observação.

O presidente da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro, a Liesa, lamentou os incidentes e disse que as causas para ambas as escolas serão apuradas pelas autoridades.

"Há mais de 30 anos é assim. Agora vamos ver como fazer para encontrar a equação e solucionar os problemas para o ano que vem", resumiu Jorge Castanheira, principal dirigente da entidade, que ainda lembrou que os acidentes da Tuiuti e da Tijuca tiveram diferenças importantes.

Publicidade

Felizmente, a Secretaria de Saúde informou que dos 12 feridos pelo acidente desta segunda, nenhum deles teve ferimentos graves - muitos tiveram crise de ansiedade por conta do susto após a queda dos materiais. É estável o quadro das duas vítimas que seguem internadas e em observação pela equipe médica. Ainda não há, no entanto, uma previsão de alta. #Carnaval