Por atrasos nos salários, cestas básicas e férias, os rodoviários da viação São Silvestre paralisam cerca de 13 linhas do Centro e Zona Sul do #Rio de Janeiro nesta manhã de segunda-feira (6). O transtorno afetou usuários que dependem do transporte público.

Por volta das 7h30, a direção do Sindicato das empresas de Ônibus do Rio de Janeiro (Rioônibus) informou em nota que estavam se deslocando até o local para acompanhar a greve.

Alguma das linhas afetadas são:

117 TRONCAL 7 - CENTRAL X COSME VELHO(VIA TÚNEL SANTA BARBARA)

118 TRONCAL 8 - COSME VELHO X RODOVIARIA(VIA PRAÇA MAUÁ)

513 URCA X FONTE DA SAUDADE (VIA MENA BARRETO)

538 ROCINHA X LEME(VIA ESTRADA DA GAVEA/JOQUEI)CIRCULAR

580 LARGO DO MACHADO X COSME VELHO

581 CIRCULAR 1 - LEBLON X COSME VELHO (VIA COPACABANA/URCA/LARGO DO MACHADO)

582 CIRCULAR 2 - LEBLON X URCA (VIA J.BOTANICO/T. REBOUCAS/LARANJEIRAS)

583 COSME VELHO X LEBLON (VIA JOQUEI)

584 COSME VELHO X LEBLON (VIA COPACABANA)

Outras linhas que fazem parte do sistema de parceria da São Silvestre também deixaram de operar temporariamente.

Publicidade
Publicidade

Cubatão

A Viação Trans. Líder de Cubatão também amanhece em greve nesta segunda, 6. As razões são as mesmas: falta de pagamento de salários e benefícios; cerca de 58 ônibus permaneceram na garagem. A administração municipal afirma que irá disponibilizar micro-ônibus para suprir a população até que o transporte volte a funcionar normalmente.

De acordo com o Sindicato dos Rodoviários, o adiantamento do salário deveria ter caído na conta dos funcionários no último dia 20, porém isso não ocorreu.

O presidente do sindicato Valdir de Souza Pestana aponta que a viação não irá depositar os pagamentos referentes ao mês de fevereiro, no quinto dia útil deste mês, e não informa o motivo. “Passamos os últimos dias conversando com a direção da empresa e a prefeitura, tentando garantir o pagamento dos salários, mas foi em vão

Pestana afirma que as mensalidades do plano de saúde Intermédica também estão em atraso.

Publicidade

Sendo assim, 450 pessoas ficarão sem plano de saúde. A última #Greve ocorreu em 17 de janeiro, e os trabalhadores voltaram a operação após o pagamento dos salários referentes a dezembro.