A secretaria de Saúde de Laje do Muriaé, no Noroeste do Rio, divulgou nesta segunda-feira (27), que seis macacos da espécie barbudo foram encontrados mortos na zona rural da cidade. Os animais foram recolhidos e encaminhados à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para realização de exames. Há suspeita de que eles tenham sido contaminados pela Febre Amarela.

Os exames iniciais descartaram a #Doença em um dos macacos. Segundo o Secretário de Saúde do município, Rodolfo Almeida, somente metade dos macacos estavam em condições de análises. O secretário também informou que as análises nos animais não apresentavam sinais de ferimentos, nem marcas de tiros, o que leva a crer que os macacos não foram mortos por pessoas, mas, ainda não se sabe a causa das mortes.

Publicidade
Publicidade

Na cidade, 80% da população já está vacinada contra a #Febre Amarela. A Secretaria de Saúde, que já pretendia reforçar a vacinação para que 100% da população seja vacinada, resolveu antecipar o reforço das vacinas ainda esta semana, depois do aparecimento dos macacos mortos.

Aumentam os casos de febre amarela em todo o Estado

Vem aumentando o número de casos de Febre Amarela no Rio de Janeiro. Na cidade de Casimiro de Abreu, cinco casos da doença já estão confirmados. O Ministério da saúde de São Fidélis registrou o primeiro caso da doença. Até agora, seis casos no estado, onde uma morte foi registrada.

Rio necessita de nove milhões de doses da vacina para atender toda a população

A Secretaria de Saúde do #Rio de Janeiro (SES) divulgou que serão necessárias, de oito a nove milhões de doses da vacina para imunizar toda a população do estado até o fim do ano.

Publicidade

De janeiro até a última segunda-feira (27), mais de 3,1 milhões de doses da vacina contra febre amarela foram distribuídas no estado.

A distribuição das vacinas segue alguns critérios técnicos, como população elegível de cada município, localização geográfica, como por exemplo: zonas rurais ou próximas a matas, ou ainda, regiões próximas aos estados de Minas Gerais e Espírito Santo, onde há surto da doença.