Um casal de trabalhadores de Araruama, no Rio de Janeiro, viveu momentos de terror nesta quarta-feira, 5, após um boato no Whatsapp apontá-lo como autor de sequestro de crianças na cidade. O boato que circulava na rede social, sem qualquer fundo de verdade, continha uma foto do carro da família. O homem e a mulher, que não sabiam que estavam sendo vítimas da calúnia, saíram para trabalhar, como fazem todos os dias, quando foram surpreendidos por uma multidão que avançou contra o carro onde estavam e tentou matá-los. O casal foi salvo por uma guarnição da Guarda Municipal da cidade, chamada pelo patrão do rapaz vítima do #Linchamento. O carro da família foi destruído e queimado pela turba ensandecida.

Publicidade
Publicidade

No boato que viralizou no Whatsapp, o pai de uma suposta vítima dos sequestradores diz que o casal estava abordando crianças na rua e obrigando-as a entrarem no carro. Assista o momento do ataque:

O horror

O homem erradamente identificado como sequestrador se chama Luiz Aurélio de Paula e trabalha em uma padaria que fica próximo ao local onde o verdadeiro crime - a tentativa de linchamento - aconteceu. O vendedor contou ao G1 que tudo aconteceu muito rapidamente e que está vivo por pura sorte. Ele foi surpreendido por pessoas que tentaram invadir o carro onde estava com sua amiga, e chegaram até mesmo a dirigir o veículo. Luiz então tentou argumentar que a pessoa de quem estavam falando no Whatsapp não era ele, e que ele trabalhava no comércio local como vendedor. Enquanto tomava socos e pedradas, Luiz tentou levar o carro até a padaria onde trabalhava, na esperança de que seu patrão e seus colegas de trabalho mostrassem que ele era um trabalhador.

Publicidade

Foi em vão.

Mesmo na padaria, e mesmo após a intervenção dos donos do local, que confirmaram que Luiz trabalhava no espaço, a multidão estimada pela Polícia Militar em 200 pessoas continuou atacando. Os criminosos chegaram a tirar a mulher do carro, agredindo-a. Neste momento o casal conseguiu se refugiar na padaria e ligar para a polícia. "Um monte de gente me abordou, eu pensei até que fosse um assalto. Aí eu tentei justificar pra eles que eu estava vendendo iogurte, queijo e linguiça aqui em Araruama. Não me deram atenção", lamenta o rapaz.

Guarda Municipal atacada

A fúria dos agressores era tamanha que até os guardas municipais que chegaram para acabar com a confusão foram atacados. O vidro dianteiro da viatura chegou a ser quebrado no tumulto. Apesar de toda a confusão e dos prejuízos financeiros e emocionais, ninguém foi preso. #Violência