Mais um caso de #Estupro coletivo no Rio de Janeiro vira notícia. A delegacia da Criança e Adolescente Vítima (Dcav) cuida do caso que aconteceu na baixada fluminense. O crime aconteceu esta semana e tem fotos e vídeos vazados na internet.

O caso só foi denunciado nesta sexta-feira (6). No entanto, a menina vítima de estupro e sua mãe ainda não foram ouvidas. No vídeo compartilhado nas redes sociais, a menina aparece escondendo o rosto com uma almofada nas gravações, enquanto quatro jovens nus a rodeiam, em um local que parece o cômodo de uma casa.

Durante a gravação do vídeo, um dos rapazes nus tenta manter relação sexual com a menina que solta um grito, em seguida, é possível ouvir um deles dizendo para que a mesma fique em silêncio, pois através de seu grito podem identificar que é ela que está lá dentro do cômodo com eles.

Publicidade
Publicidade

Já foi feito Boletim de Ocorrência e aberto inquérito para investigar o crime que tem quatro homens como suspeitos de praticar o abuso sexual contra a adolescente.

As primeiras informações que as autoridades têm são de que o crime ocorreu em uma casa onde estava sendo dada uma festa. A delegada Juliana Emerique, da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV), relata em uma entrevista que o crime é horrendo e mostra o desvalor com o ser humano, e ainda finaliza, afirmando que há uma grande junção de crimes nesse mesmo caso.

As autoridades classificam este crime como ainda maior e mais desumano do que o que aconteceu há um ano, de uma menina que foi estuprada por mais de 30 homens.

Os suspeitos que aparecem no vídeo já estão sendo procurados pelas ruas e irão responder aos crimes por compartilhar imagens em redes sociais, o que dá prisão de até 4 anos; divulgação de imagens, 3 a 6 anos; possuir imagens, de 1 a 4 anos; possuir vídeo de 4 a 8 anos; estupro de vulnerável, de 8 a 15 anos de prisão.

Publicidade

Segundo a delegada que investiga o caso, não há dúvidas de que a menina foi obrigada a fazer tudo o que aconteceu. É possível ver através das gravações o medo e pavor que a menina está sentindo.

Este caso ocorre um ano após o crime cometido contra uma adolescente nas vésperas do Rio 2016, quando uma garota de apenas 16 anos foi abusada sexualmente por mas de 30 homens. O caso ocorreu na zona Oeste do Rio, comunidade Barão.

Neste antigo caso, apenas três homens foram formalmente acusados, Dois deles foram condenados a 15 anos de prisão em regime fechado, enquanto o terceiro acusado segue foragido, já a adolescente segue incluída no programa de proteção do governo. #2017