O Prefeito da Cidade de Petrópolis, #Bernardo Rossi, empossado em janeiro desse ano, aos poucos está colocando a cidade em ordem. A grande dificuldade está na questão financeira, pois ao assumir o posto, informou que, em relação às dívidas, o número é assustador: 565 milhões.

Só no setor da saúde, a dívida chega a mais de 45 milhões. Apesar do número alto, um de seus projetos neste setor é a reabertura da emergência do Hospital Alcides Carneiro. Enxugar a máquina é uma de suas prioridades. Nessa reforma administrativa, a redução foi para 17 no que diz respeito a secretarias, empresas de economia mista e autarquias. 32% dos cargos em comissão e funções gratificadas foram cortados também.

Publicidade
Publicidade

Obviamente, o curto tempo de cinco meses não pode servir como parâmetro para avaliar o desempenho do jovem prefeito, mas o mesmo afirma que ainda tem muita luta pela frente e muitos projetos sairão do papel para transformarem-se em realidade, e acredita que a população já define seu governo como "um governo que quer acertar, está trabalhando e tem determinação para fazer a diferença".

O Prefeito se diz honrado em poder trabalhar pela cidade, que considera uma das mais belas do Brasil, uma das mais importantes do mundo e que possui um grande potencial, e vê o resultado na satisfação de grande parte da população petropolitana, mas não está satisfeito.

Em sua opinião, é importante que a câmara e a população contribuam com seu apoio, pois um prefeito não governa sozinho. Dando os primeiros passos para o crescimento de #Petrópolis, alguns cargos comissionados foram cortados por questão de economia, e algumas dívidas deixadas pela gestão anterior, de #Rubens Bontempo, já foram quitadas.

Publicidade

Bernardo Rossi retomou algumas obras que estavam paradas na cidade, como a dos bairros Caxambu (no Centro de Iniciação Esportiva), Posse, Mosela e da Ressonância, e organizou a reforma administrativa. Foi à Brasília pedir ajuda na complicada questão da Saúde, algo que o governo anterior não fazia.

O atual prefeito tem 36 anos de idade, é casado e tem dois filhos. Formado em Direito pela Universidade Católica de Petrópolis, foi o deputado mais votado da história da cidade pelo PMDB, com dois mandatos de vereador - chegando a ser Presidente da Câmara - e dois de deputado estadual, apresentando mais de 250 projetos que beneficiaram a cidade serrana, sendo que um deles foi um convênio entre a Universidade Católica de Petrópolis e o governo do Estado do Rio de Janeiro para a concessão de 500 bolsas integrais de ensino superior.

Comandou a Secretaria de Estado de Habitação trabalhando não só por Petrópolis, mas por mais de noventa municípios. Na área educacional, que criou o campus da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), cujo primeiro curso oferecido pela instituição foi o de Arquitetura.Preocupado também com as enchentes que castigam as cidades serranas, participou da CPI das Chuvas da Alerj.

Publicidade

Numa declaração de amor à Petrópolis, quando foi diplomado prefeito da Cidade, em seu discurso inicial disse que de todos os diplomas que recebera na vida, aquele foi o mais importante.