Na noite da última quarta-feira, 14, a "Liesa", Liga das Escolas de Samba do Rio, divulgou uma nota em sua rede social informando que não haverá desfiles das escolas de samba do grupo especial na cidade do #Rio de Janeiro em 2018. A decisão aconteceu após a prefeitura cortar pela metade os recursos destinados aos desfiles cariocas.

A decisão foi tomada em uma reunião onde os presidentes das escolas estavam presentes. A nota informou ainda que os dirigentes do evento aguardam um agendamento da audiência que decidirá a melhor solução para o problema.

A nota também destaca os benefícios econômicos que tal evento gera ao Brasil além da valorização da imagem da cidade bem como o aumento da arrecadação de impostos e receitas de formas diretas e indiretas, como, por exemplo, movimentação do turismo na cidade.

Publicidade
Publicidade

Segundo a "Liesa", o corte de 50% dos recursos torna inviável a sua realização, visto que o evento perderá a qualidade com que vem sendo feito nos últimos anos.

A "Liga" informou ainda que Marcelo Crivela em sua candidatura, visitou a sede e firmou o compromisso de manter o evento e aumentar tais recursos, que agora estão sendo reduzidos.

A nota da prefeitura

Dois dias antes de a "Liesa" divulgar a nota de cancelamento do evento, a prefeitura do Rio também havia divulgado outra, no qual afirmou cortes nos recursos para as escolas de samba, além de passar a informação de que usará este valor para ajudar creches e escolas da rede municipal.

A prefeitura informou ainda que em 2017 as escolas de samba receberam cerca de 24 milhões de reais e que agora usará metade desse recurso para reforçar a alimentação e qualidade das creches e escolas municipais.

Publicidade

A prefeitura garantiu ainda que a ideia inicial é fazer os investimentos diretamente nas agremiações, por meio do Conselho de Turismo, cadernos de encargos ou afins.

Enquanto isso nas redes sociais

Ao receber essa notícia, que se espalhou rapidamente nas redes sociais, os internautas se dividiram entre os que aplaudiram a atitude de Crivela e os que ficaram extremamente revoltados, afirmando que o carnaval do Rio também gera emprego e renda a pessoas que estejam desempregadas e que recebam baixos salários através dos trabalhos temporários que surgem em virtude do carnaval.

Os desfiles das escolas de samba no Rio de Janeiro, começaram a ser monetizados em 1961, e o evento hoje é conhecido como um evento histórico.

E aí!? O que achou da atitude da prefeitura?

Você concorda ou discorda?

Deixe seu comentário! #Marcelo Crivella