Há cerca de um ano e dois meses um caso de #Estupro coletivo se tornou o caso mais comentado em todos os meios de comunicação do Brasil. Naquela época, uma jovem de foi violentada sexualmente por 33 homens e, como se não bastasse, a tamanha crueldade com a vítima. O estupro coletivo foi filmado pelos agressores e divulgados nas redes sociais. Os vídeos, contendo as cenas horríveis foram parar até em sites de conteúdo adulto e dos 33 acusados, apenas alguns foram identificados e presos pela polícia.

Outro caso assustador de estupro coletivo está sendo investigado pela polícia. Desta vez, a vítima estava sendo estuprada pelos agressores há cerca de dois meses.

Publicidade
Publicidade

O que mais intrigou a polícia é que os agressores são todos menores de idade, inclusive a própria vítima.

Entenda o caso

Um caso de estupro coletivo está sendo investigado pela polícia da cidade de Bom Jesus do Itabapoana, localizada no noroeste fluminense, no Rio de Janeiro (RJ). Uma jovem de apenas 13 anos estava sendo vítima de violência sexual por adolescentes da mesma escola onde estuda. De acordo com as investigações feitas pela polícia, foi descoberto que a vítima estava sendo abusada por 15 adolescentes com idade de 14 a 16 anos. O mais surpreendente de tudo é que a jovem vinha sendo vítima do #Crime a pelo menos dois meses. Segundo relatos, o caso chegou na delegacia na segunda-feira (17).

As agressões sexuais começaram quando um dos envolvidos no crime teria flagrado a vítima em momentos íntimos com o namorado na quadra dentro da escola.

Publicidade

Desde então, a adolescente começou a ser chantageada para ter relações sexuais com os acusados, caso ao contrário eles iam relatar o ocorrido para o pai da vítima. As autoridades locais informaram que a jovem foi estupra pelo grupo em quatro ocasiões diferentes. O que mais intrigou a polícia é que os abusos aconteceram dentro da escola onde os mesmos estudam, dentro de uma sala de aula e na quadra da escola.

Segundo delegado Bruno Cleuder, que está à frente das investigações, os envolvidos no crime já foram ouvidos pela polícia e ambos vão responder pelo de estupro de vulnerável. Bruno também relatou que a adolescente foi encaminha para fazer exames médicos e está sendo acompanhada pelo Conselho Tutelar da cidade. Conselheiros informaram que a menina também receberá acompanhamento psicológico e o caso contínua sendo investigado pela polícia local. #Casos de polícia