Publicidade
Publicidade

A violência não para de crescer nas grandes cidades brasileiras, o que obriga as equipes de polícia e os órgãos de combate a criminalidade a atuar de forma mais enérgica; tanto é assim, que na manhã desta quarta-feira (20), o Bope (Batalhão de Operações Especiais) está atuando na comunidade da Rocinha, que fica no bairro de São Conrado, Zona Sul da Cidade do Rio. [VIDEO]

A notícia acima já tinha sido transmitida por meio do perfil oficial da Polícia Militar na rede social do Twitter e até o presente momento não foram registrados tiroteios, apreensões e prisões.

Paralelamente outras equipes de policiais estão fazendo incurssões na Chácara do Céu, Morro do Vidigal e Leblon, também na Zona Sul da Cidade Maravilhosa.

Publicidade

Não foram esquecidos na mega operação desta quarta-feira os morros cariocas de São Carlos, do Querosene, da Mineira e do Zinco, e a comunidade Vila Vintém, situada na Zona Oeste, mais especificamente no bairro de Padre Miguel.

O objetivo da polícia militar é dar continuidade à guerra do tráfico que vem acontecendo na #Rocinha desde o último final de semana.

Advogado de Nem nega envolvimento do seu cliente

Vale frisar que Luiz Gustavo Battaglin Maciel, defensor de Nem ou Antônio Francisco Bonfim Lopes, negou publicamente que o seu cliente tenha algum participação nessa guerra urb [VIDEO]ana pela disputa dos pontos de tráfico na Rocinha. O advogado de Nem esteve visitando ontem (19) o mesmo no presídio federal de Porto Velho, construído em Rondônia.

Conforme falado por Luiz Gustavo, Nem está sem se encontrar com os parentes há aproximadamente 14 dias e sequer sabia dos conflitos na Rocinha, cujos traficantes locais estão guerreando entre si desde domingo.

Publicidade

De acordo com a Polícia Civil, há uma verdadeira guerrilha acontecendo entre os meliantes que apoiam de um lado a Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, e na outra ponta, os homens que dão suporte a Nem. Tudo isso visando a disputa pelo controle da área.

Bandidos "vigiam" os PMs

Os meliantes estão muito bem organizados na medida em "supervisionam" todo o movimento feito pelos policiais tanto na Rocinha quanto no Vidigal através de uma central de monitoramento via internet.

O centro de comando dos bandidos é responsável pela captação das imagens de câmeras de segurança dispostas pelos mesmos nas duas comunidades controladas pelo bando. No mês de maio chegaram a ser apreendidas 7 câmeras que estavam postas dentro de caixas plásticas nas duas favelas. A ousadia é tanto que uma delas foi fixada na frente da base da UPP da Chácara do Céu, na comunidade do Vidigal. [VIDEO]

A apreensão de totalidade das câmeras foi feita no dia 24 de maio por agentes policiais das UPPs da Rocinha e do Vidigal.

Fato é que cada vez fica mais difícil a queda de braço entre policiais e bandidos no Rio de Janeiro, mostrando que nenhum dos dois lados está para brincadeira nessa modalidade de guerra urbana, que envolve muito dinheiro. #droga #roubo