Publicidade
Publicidade

O #coronel Luiz Gustavo Teixeira, comandante do 3.º BPM - Méier, no Rio de Janeiro, morreu nesta quinta-feira (26), após ser baleado. Houve um arrastão hoje pela manhã e o carro em que o comandante se encontrava foi alvo dos bandidos, recebendo quase 20 tiros. De acordo com as primeiras investigações, todos os tiros foram feitos por pistola. Luiz Gustavo chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, que fica na zona norte da cidade. Ele foi submetido a uma cirurgia, mas infelizmente não resistiu, vindo a óbito.

A Secretaria Municipal de Saúde informou que o coronel foi atingido por vários disparos e uma das balas acertou bem no peito, provocando uma lesão na aorta.

Publicidade

O pulmão esquerdo e também a traqueia foram atingidos. Os médicos fizeram de tudo para salvá-lo, mas não conseguiram.

A PM informou que o coronel Luiz Gustavo estava no veículo acompanhado de um cabo da Polícia Militar. Ele dirigia um Gol branco e quando passavam pela rua Hermengarda, que fica no Méier, os criminosos obrigaram o veículo a parar. Eles estavam dentro de um Audi preto e fortemente armados. O comandante tinha ido a um evento do 23.º BPM no Leblon e não estava identificado, porém, os criminosos perceberam que eles eram da polícia e imediatamente começaram os disparos. O tiroteio foi intenso e o Coronel acabou sendo atingido várias vezes.

O cabo também foi atingido, só que na perna, e conseguiu continuar atirando para se defender, até que os bandidos foram embora. Levado também para o Hospital Salgado Filho, o cabo encontra-se em recuperação, já fora de perigo.

Publicidade

Na parte da tarde, o cabo foi transferido para o Hospital Central da Polícia Militar, que fica no Estácio, e seu quadro é estável. Como os bandidos abandonaram o carro no local, a perícia tentará descobrir alguma pista que leve aos criminosos, como por exemplo, marcas de impressões digitais.

Os bandidos fugiram na direção do Complexo do Lins [VIDEO], e um morador da região, que não quis se identificar, fez um vídeo mostrando o exato momento em que eles fogem. Com estas imagens, a PM espera chegar até os culpados. Uma mega operação para o Complexo do Lins está sendo planejada, mas as chances de chegar aos assassinos são mínimas.

O coronel Luiz Gustavo, de 48 anos, era apaixonado pelo trabalho e exemplo para todos os colegas. Ele morava na região e, há pouco mais de um ano, estava no comando do batalhão, sendo que este foi o grande sonho que ele conseguiu realizar em sua vida. Toda a corporação gostava muito dele e ele estava nesta profissão desde os 26 anos. Luiz Gustavo deixou uma esposa e também dois filhos.

Publicidade

#riodejaneiro #Policia Militar