Publicidade
Publicidade

A cidade do Rio de Janeiro vive um clima de guerra há muito tempo. Nesta quinta-feira (26), mais um policial foi vítima da violência na capital do estado do Rio de Janeiro [VIDEO]. Comandante do 3º Batalhão da Polícia Militar, o coronel Luiz Gustavo de Lima Teixeira, de 48 anos, foi assassinado com 17 tiros [VIDEO], na rua Hermengarda, na região do Méier, zona norte.

As primeiras informações divulgadas eram de que o #Coronel Teixeira, que estava em um veículo branco ao lado de outro policial, ambos à paisana, estava a caminho do batalhão da PM quando se deparou com um arrastão. Na troca de tiros, ambos foram baleados.

O coronel Teixeira foi alvejado 17 vezes.

Publicidade

O motorista do veículo teria sido baleado três vezes, mas sobreviveu. Os dois foram encaminhados ao hospital, mas o comandante do 3º BPM já chegou ao local morto.

111 mortos

Ser policial no Rio de Janeiro é uma das profissões mais perigosas do mundo. Neste ano, 111 policiais já mortos na Cidade Maravilhosa. As cenas de policiais chorando a morte de um companheiro de corporação e de familiares lamentando a morte de maridos, filhos, pais têm sido comuns.

Memória

O coronel Luiz Gustavo de Lima Teixeira trabalhava na Polícia Militar havia 26 anos. Ele ingressou na PM aos 22 anos. O coronel Teixeira era admirado pelos policiais que faziam parte de seu batalhão e deixa dois filhos.

Em nota, o governador Antonio Pezão (PMDB) se solidarizou com a família do coronel Teixeira e com todos os policiais militares do estado do Rio de Janeiro.

Publicidade

“Não vamos descansar enquanto os responsáveis por esse crime hediondo não estiverem nas mãos da Justiça”, afirmou.

Arrastão ou atentado?

Embora a primeira informação tenha sido de que os policiais foram vítimas de arrastão, o mais plausível é que tenha acontecido, na verdade, um atentado. Homens em uma moto e em outro carro teriam atacado os policiais com fuzil.

Caso essa informação seja confirmada pelas investigações – a corporação garante que foi atentado – tudo indica que o coronel já vinha sendo vigiado e perseguido por bandidos.

O Cidade Alerta, da Record TV, exibiu imagens dos dois policiais baleados chegando ao Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, e exibiu também a comoção dos policiais e da filha do coronel ao receberam a informação da morte.

Invasão

Depois do ocorrido, a Polícia Militar interditou a autoestrada Grajaú-Jacarepaguá, por volta das 16h. O planejamento da PM é invadir as favelas da região do Méier e do Completo de Lins para capturar os criminosos que mataram o comandante do 3º BPM com 17 tiros de fuzil. #Violência no Rio de Janeiro #PM morto