Publicidade
Publicidade

O funkeiro #MC Tikão, apelido de Fabiano Batista Ramos, foi preso, nesta sexta-feira (20), por suspeita de envolvimento na fuga do traficante Rogério Avelino Silva, o #Rogério 157, quando as forças de segurança entraram, na Rocinha, no Rio de Janeiro, para tentar acabar com a guerra entre traficantes, em setembro deste ano.

Uma testemunha-chave, em depoimento, contou a polícia que o funkeiro ajudou Rogério a sair do local onde se escondia e foi quem deu carona, em sua moto, ao traficante no dia 22 de setembro. Nesse dia, a comunidade da Rocinha estava cercada pelas Forças Armadas, Bope, Batalhão de Choque e pela Polícia Militar do Rio de Janeiro.

Publicidade

A testemunha-chave, que se entregou a policia por ser ameaçado de morte, estava na comunidade durante os confrontos e participou diretamente dos tiroteios no morro e nas matas em torno da Rocinha, pois pertencia a mesma facção de Rogério 127 e Nem,

Tikão, que já havia feito uma música em homenagem ao traficante, tinha livre acesso na comunidade e era amigo de Rogério. Ele foi preso em uma casa de luxo, na Taquara, Zona Oeste do Rio. A policia chegou ao local através de informações, pois o imóvel não pertence ao funkeiro e nem há ligações dele com o endereço.

O envolvimento do funkeiro com a guerra da disputa pelo tráfico [VIDEO]na Rocinha é ainda maior, segundo informações dadas à polícia. MC Tikão teria sido o principal personagem do confronto que ocorreu na Rocinha, responsável pela união de Rogério 157 e Paulinhozinho do Fallet, de facções rivais.

Publicidade

O funkeiro teria apresentado os dois em uma festa no Morro do Turano, e Rogério 157 passou, então, a pertencer a facção do novo comparsa.

O que teria ocorrido

A testemunha-chave contou a polícia que ,durante o baile funk que aconteceu na comunidade, um dos traficantes de confiança de Nem, conhecido como "Perninha", se desentendeu com Rogério 157. "Perninha" foi a casa de parentes do traficante Nem, já preso e ex-chefe do tráfico na Rocinha, e informou que Nem teria mandado Rogério 157 entregar a favela da Rocinha para ele, pois Rogério vinha agindo como as milícias, cobrando taxas para ao comércio e controlando a venda de botijão de gás, água mineral e carvão etc.

No Dia dos Pais, após o que parecia uma trégua, a mando de Rogério, “Perninha”, “99” e “Vasquinho”, aliados de Nem, foram executados. Após eliminar os rivais, Rogério informou aos chefes do tráfico [VIDEO] da facção a que pertencia que agora ele é quem estava no comando, o que dividiu a facção. Para muitos traficantes o comando da Rocinha ainda pertence a Nem, que está preso.

Quando aliados de Nem, traficantes da Vila Vintém e de São Carlos, entraram na Rocinha na manhã no dia 17 de setembro, Rogério ordenou que seus 150 homens atirassem contra eles, passando, então, para a facção rival.

No dia 22 de setembro, quando o confronto ficou intenso e as forças de segurança invadiram a Rocinha, Rogério fugiu para o Morro do Turano. #tráfico de drogas