As ruas de Salvador nunca mais serão as mesmas após o dia 22 de outubro. O arco-íris e o movimento LGBT vão ocupar as faixas de pedestres por toda a capital bahiana. A ação busca a visibilidade da luta contra a homofobia realizada por movimentos e ativistas sociais. A prefeitura de Salvador demonstra grande apoio a causa LGBT, ao promover a atividade de conscientização da população.

A partir do dia 22 de outubro os moradores e visitantes de Salvador poderão conferir as faixas de pedestres que serão pintadas das cores do arco-íris que são utilizadas na bandeira LGBT. Com o apoio da Secretaria de Municipal de mobilidade urbana e transalvador as faixas serão pintadas a fim de conscientizar a população sobre as lutas das minorias e a importância da conscientização da população sobre o respeito a igualdade buscando a erradicação da homofobia e do discurso de ódio contra a população LGBT.

Publicidade
Publicidade

Segundo dados divulgados pelo #Governo, a cada 26 horas um LGBT é agredido no Brasil.

A ação conscientiza a população ainda para as políticas públicas e direitos humanos realacionados a população de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transgêneros e transexuais no país todo. Segundo Larissa Moraes, idealizadora do projeto junto a prefeitura de Salvador, a ação busca demonstrar o apoio da capital diante da causa LGBT, e ainda servir de exemplo para outras cidades do Brasil.

Além de Salvador, a ação de colorir as faixas de pedestres já fora realizada em países como Estados Unidos, Austrália, Chile e Canadá, que realizaram a ação em algumas de suas cidades.

Logo após a recente aprovação do estatuto da família tradicional brasileira pela Comissão Especial da Câmara Federal dos deputados em Brasília, a ação em Salvador mostra que o conceito tradicional da família não pode ser definido apenas pela formação familiar de um homem e uma mulher.

Publicidade

A luta LGBT através dos movimentos sociais já garantiu grandes conquistas no país, onde atualmente um casal homoafetivo pode validar seu matrimônio em qualquer cartório no país. Além disso, a população LGBT pode constituir família, graças a atividades e muita luta de conscientização da população. A votação do Estatuto da Família Tradicional brasileira é um revés na história do movimento LGBT, e atividades como a de Salvador visa reforçar a garantia dos direitos da minoria que sofre todos os dias com a homofobia e seu discurso de ódio. #Curiosidades #Arte