O prefeito de Salvador, ACM Neto, atendeu aos apelos dos taxistas e sancionou a lei 9.066/2016, que dispõe sobre a proibição de veículos particulares para o transporte remunerado de pessoas na cidade. Na prática, a nova #Legislação proibiu o Uber de atuar na cidade. A decisão acontece mesmo após os protestos da população nas redes sociais, pedindo a autorização para a atuação da empresa na capital baiana. Em nota à imprensa o #UBER disse que a lei sancionada por Neto é inconstitucional. Para o Uber, sua atividade já é regulamentada pela lei federal 12687/2012, conhecida como a Política Nacional de Mobilidade Urbana. A empresa complementa ainda que a decisão do prefeito vai na contramão das decisões já tomadas por cidades como São Paulo e Porto Alegre, que optaram por regulamentar as novas tecnologias que surgem em benefício das cidades e das pessoas. A lei sancionada por ACM Neto prevê que o condutor flagrado fazendo o transporte individual de passageiros por meio do Uber será multado em R$ 2,5 mil na primeira infração, e R$ 5 mil na segunda, além de ter seu veículo apreendido.

Publicidade
Publicidade

Diferença de preços

A nova legislação gerou inúmeras críticas à prefeitura de Salvador nas redes sociais. Isso porque o Uber é bem mais barato que uma corrida de táxi. Enquanto que a tarifa do táxi (aquela que o passageiro paga para começar uma corrida) na capital baiana é de R$ 4,81, a tarifa do Uber é de apenas R$ 2,50. O quilômetro rodado no táxi, na bandeira 1, custa R$ 2,42, e na bandeira 2 custa R$ 3,38. Já no Uber o quilômetro tem preço fixo de R$ 1,21, um desconto de 50% se comparada à quilometragem mais barata entre os táxis. Por fim, outro desconto de 50% do Uber é em relação ao tempo de viagem. Enquanto o minuto em um táxi comum custa R$ 0,40, o minuto no Uber sai por R$ 0,20.

Reclamações

A população usou o perfil do prefeito ACM Neto nas redes sociais para reclamar da proibição.

Publicidade

O morador Gilmar Santos foi contundente. "Essa é a gestão de um prefeito que pensa no futuro? Estou decepcionado com sua postura diante do projeto de lei que veta o Uber em salvador. Cadê o debate? Cadê as análises acerca do tema? Prefeito, lembre-se que quem elege os governantes somos nós, o povo! Atitudes como essa acabam descredenciando você. Espero que os advogados do Uber sejam mais rápidos e o serviço volte a operar em Salvador o mais breve possível", disse. O Uber já avisou que continuará atuando em Salvador, mesmo com a proibição.