Um crime brutal aconteceu neste domingo, dia 24 de julho, na cidade de Luis Eduardo Magalhães, no interior da Bahia. A travesti Erielton Souza Sales, cujo nome social era Sabrina, foi encontrada morta com diversas marcas de #Violência na cabeça. 

O corpo da travesti foi encontrado na esquina das ruas Janete Clair e José de Alencar, na região do bairro Florais Léa. 

Segundo a imprensa local, a polícia informou que a maior parte dos machucados se concentrava no pescoço e na face da vítima, provavelmente causados por espancamento. Ainda de acordo com os oficiais, aparentemente não foram utilizados instrumentos cortantes ou armas de fogo. 

Populares acreditam que Sabrina tenha sido vítima de transfobia, crime de discriminação para com travestis, transexuais e transgêneros.

Publicidade
Publicidade

A investigação segue essa mesma linha de pensamento. 

Moradores do Florais Léa disseram que o corpo de Sabrina estava em um local com pouca iluminação e normalmente frequentado por prostitutas. Por estar seminua e com a bolsa cheia de preservativos, os policiais não descartam a possibilidade de relação do crime com a vida sexual da vítima. 

Sabrina se formou no curso técnico de Enfermagem e chegou a exercer a profissão atuando no Hospital de Barreiras. A polícia deve concluir a investigação em 30 dias. 

Adolescente é morto pela PM em Barreiras

O adolescente conhecido como Duduzinho foi morto após um confronto com policiais militares na cidade de Barreiras, no interior da Bahia. 

Envolvido com diversos crimes, incluindo tráfico de drogas e três homicídios, o jovem chegou a trocar tiros com as autoridades que revidaram e acertaram o rapaz que não resistiu aos ferimentos. 

O corpo foi encaminhado ao IML local.

Publicidade

Não há informações sobre quando será realizado o enterro do rapaz. 

Segundo a PM, o tiroteio aconteceu no início da noite do último domingo, dia 21 de julho, no bairro Vila Brasil, e o caso foi registrado na delegacia da cidade. Duduzinho portava um revólver, mas não possuía o devido registro de porte do mesmo.  #Casos de polícia