O caso aconteceu na última quarta-feira, 19 de outubro. Uma adolescente de 14 anos foi encontrada desacordada pela mãe com um cinto em volta do pescoço, após jogar online o desafio chamado Choking Game (jogo de asfixia). O fato aconteceu no bairro de Itinga, em Lauro de Freitas, Região Metropolitana de Salvador, na Bahia. Segundo o site de notícias Bocão News, familiares da adolescente confirmaram o incidente.

De acordo com uma tia da vítima, a adolescente jogava online com outros amigos, e após o desafio teria se asfixiado. A mãe teria encontrado a garota inconsciente com um cinto em volta do pescoço. A menina foi socorrida de imediato e levada ao Hospital Menandro de Faria, recebeu atendimento, porém não resistiu e veio a óbito em seguida.

Publicidade
Publicidade

A família da menor está muito abalada; a mãe está inconsolável, não consegue acreditar no que aconteceu.

Outro adolescente morto em jogos online

O adolescente Gustavo Riveiros Detter, de apenas 13 anos, morador da cidade de Santos, em São Paulo, foi encontrado com uma corda no pescoço, após perder um jogo online e ser desafiado pelos amigos.

O caso aconteceu no sábado, 15 de outubro. O garoto foi socorrido e levado para um hospital, onde permaneceu internado até ao dia seguinte. No domingo 16 de outubro, o menor não resistiu ao ferimento e morreu no local.

Um tio da vítima informou que o enforcamento do garoto foi acompanhado pelos seus amigos que estavam online. Segundo ele, o sobrinho jogava com outros três adolescentes, e nas conversas um dos garotos ainda chegou a falar “o Detter foi brincar de novo de se enforcar”, disse Riveiros, que leu as conversas no computador do adolescente.

Publicidade

O tio conta, chateado, que outras tentativas foram feitas, até que chegasse a este final triste. E questiona quantas vezes isso estará acontecendo nas escolas, nas casas e em outros lugares todos os dias.

Visão da polícia sobre o caso de Lauro de Freitas

Segundo a equipe da 27.ª Delegacia Territorial, que investiga o caso do enforcamento da adolescente de 14 anos, as investigações não levam à hipótese de um enforcamento devido a um jogo online. De acordo com a delegada responsável pelo caso, Elaine Laranjeiras, após análise do computador e de um diário da menina que foram recolhidos, e também depois de ouvir o pai e um vizinho que ajudou no socorro da garota, nada indica que a morte da garota tem a ver com o jogo da asfixia.  As investigações prosseguem, mas o caso está sendo tratado como suicídio.

#Crime #Internet #Investigação Criminal