Um homem de 26 anos, chamado Wildenberg da Silva, foi assassinado a tiros na rua, em Feira de Santana, durante o dia. O homem comemorava seu aniversário, com seu pai e um amigo, e os três estavam sentados em uma mesa, no exterior de um bar na rua Coronel José Pinto, próximo ao Shopping Boulevard.

A notícia foi divulgada pelo jornal Olá Bahia e a cena foi captada em imagens vídeo de uma câmera de segurança no local. As testemunhas que presenciaram a cena, segundo o jornal, disseram exatamente o que é visível nas imagens: dois homens chegaram em uma mota, o carona saiu pulou rapidamente, avançou para a mesa, fez o seu "trabalho" e voltou rápido para a mota.

Publicidade
Publicidade

Veja as imagens com cuidado, pois podem impressionar as pessoas sensíveis:

Nas imagens é visível que os 3 homens na mesa deixam de ser vistos sob a ameaça da arma do criminoso, parecendo que ele executou todos os três. Entretanto, as notícias apontam que só Wildenberg da Silva perdeu a vida.

Segundo o Correio24Horas, a polícia já teria algumas pistas sobre a motivação do #Crime. O oficial Gustavo Coutinho, da Delegacia de Homicídios de Feira de Santana, disse ao jornal que a vítima não tinha histórico de praticar crimes, mas que existe a possibilidade de estar envolvido no tráfico de drogas. Se as autoridades confirmarem essa pista, poderia se tratar de uma rivalidade entre grupos criminosos concorrentes ou um negócio mal resolvido. A polícia já está na posse destas imagens, que serão analisadas.

Publicidade

Criminalidade e violência em Feira de Santana

Os homicídios violentos não param de acontecer na "Princesa do Sertão". No último mês de setembro, um jovem foi morto a tiros na rua Libra, no Bairro Tomba, na cidade. De acordo com a Tribuna da Bahia, o adolescente, de 17 anos, morava no próprio bairro; o crime aconteceu pouco depois das 21 horas.

Também em setembro, no dia 20, foi executado um comerciante no Feiraguay. Tal como no crime da rua coronel José Pinto, o homicídio aconteceu durante o dia, pelas 17h30, mostrando que os criminosos não receiam a identificação por testemunhas. A vítima, Marcone de Almeida, foi levada ao Hospital Geral Clériston Andrade, mas não sobreviveu e morreu nesse mesmo dia. Para este caso, e segundo o Correio 24 Horas, o delegado Gustavo Coutinho não tinha qualquer pista sobre o que poderia ter motivado esse ato violento. #Violência