Anderson dos Santos, conhecido como Bigó, foi baleado em confronto com a Polícia Militar em Salvador. Ele é apontado como líder de uma das principais facções criminosas da Bahia, a Katiara. Depois de ser baleado, Bigó foi socorrido e levado para o Hospital do Subúrbio, próximo à região de Nova Brasília de Valéria, em Salvador, mas morreu a caminho do centro médico.

Conforme informou a Polícia Civil, na tarde da última sexta-feira (7), policiais militares da 31.ª Companhia Independente (CIPM-Valéria) foram à Nova Brasília de Valéria para patrulhamento de rotina. Ao chegarem no local, foram recebidos a tiros por marginais.

Publicidade
Publicidade

Aproximadamente 12 homens armados iniciaram o confronto, que terminou com a morte de Anderson 'Bigó'.

Bigó era provável culpado pela morte de sargento da PM

Ainda de acordo com a Polícia Civil, o bandido é apontado como um dos responsáveis pela morte do sargento reformado da Polícia Militar, Eduardo Henrique Bispo dos Santos, de 59 anos. O oficial foi assassinado em julho deste ano, depois de ser sequestrado por traficantes. Seu corpo foi encontrado na Lagoa da Paixão. A vítima havia sido levada para um sítio, onde foi torturada e assassinada. A moto do sargento foi encontrada um dia depois do sequestro, na região da 31.ª Cia.

Eduardo passava numa área do bairro onde mora, conduzindo sua moto. O local era uma biqueira e um olheiro da facção identificou o policial e notou que ele estava armado.

Publicidade

Após avisar os parceiros, o sargento reformado foi capturado e sequestrado. Depois de ser assassinado, seu corpo foi escondido e achado dois meses depois.

Segundo divulgou na época, Daniel Santos de Jesus foi preso. Ele foi apontado como um dos integrantes do grupo de 14 pessoas que participaram da execução.

Facção

A facção criminosa Katiara atua na região onde houve o embate. Durante o confronto, os comparsas de Bigó conseguiram fugir da comunidade. Até ao momento, ninguém foi preso e as equipes continuam nas buscas por pistas que levem ao paradeiro dos demais envolvidos. Após o ataque, a polícia apreendeu armas e drogas, deixadas para trás após a fuga dos criminosos. #Crime #Casos de polícia