A polícia de Juazeiro, no estado da Bahia, prendeu um homem suspeito de estuprar alunos de uma escolinha de futebol onde dava aulas. O acusado é José Nilton dos Santos, de 49 anos. Ele foi detido na última terça-feira (4), após denúncia dos pais das crianças, com idades entre 9 e 12 anos.

A Polícia Civil informou, por meio do delegado Nélio Neves, que para conseguir seu objetivo o professor aliciava os menores, prometendo a eles diversas coisas relacionadas à modalidade esportiva ou mesmo a objetos de valor.

Com essa conversa, ele convencia as crianças a irem para a sua casa, onde o #Crime era consumado. Os alunos relataram de forma bastante detalhada de que maneira aconteciam os abusos. Depois de ouvir alguns depoimentos, Neves entrou com ação para garantir a prisão preventiva do suspeito, contra quem já pesavam outras denúncias.

Publicidade
Publicidade

José Nilton respondia a outros inquéritos semelhantes, mas todos esbarravam na dificuldade de obter provas. O treinador nega todas as acusações e diz que tudo o que foi falado é mentira. Além de técnico em Juazeiro, José Nilton também dava aulas em escolinhas de Petrolina, em Pernambuco, a aproximadamente 5 quilômetros.

A ocorrência foi registrada na delegacia na semana passada, mas em função da legislação eleitoral, que coíbe prisões até dois dias após o pleito, as autoridades só tiveram como cumprir o mandado de prisão na última terça.

No total, cinco vítimas prestaram depoimento relatando os abusos.

Pedindo anonimato, o pai de uma delas se disse incrédulo. Ele contou à imprensa que nunca esperaria uma coisa dessas. Disse ainda que, depois que soube que seu filho estava na lista das vítimas, perdeu totalmente o sono e não consegue parar de imaginar a dor do menor.

Publicidade

José Nilton desenvolveu projetos sociais nas periferias de Juazeiro, onde revelou atletas reconhecidos no futebol profissional, como Nixon, do Flamengo.

As famílias das vítimas esperam justiça e dizem que estão um pouco mais aliviadas sabendo que o acusado está preso. “Espero que a polícia dê continuidade no processo”, afirmou o pai de uma das vítimas. #Estupro #Casos de polícia